PM desarticula "novo gangaço" e 25 são mortos

Bandidos usavam armamento de guerra; megaoperação foi das polícias militar e Rodoviária Federal

Da Redação

Uma megaoperação na madrugada deste domingo, 31, das polícias Militar e Rodoviária Federal resultou em uma violenta troca de tiros em dois sítios próximos a Varginha, Sul de Minas, e deixou mortos 25 mortos. Todos são suspeitos de integrar uma quadrilha do novo cangaço. O confronto teve início, quando os policiais. Outros integrantes do grupo criminosos ficaram feridos, leve e gravemente e foram levados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Varginha e ao pronto-socorro do município.

Armamento pesado

Nos sítios onde o grupo estava distribuído foi encontrado um arsenal de guerra. De acordo com as informações da PM, cerca de dez fuzis foram apreendidos, uma escopeta calibre 12 e três metralhadoras ponto50, estas tem capacidade até de derrubar aeronaves. O capitão Layla Brunnella, porta-voz da Polícia Militar (PM), disse à rádio Itatiaia que a quadrilha de roubos a banco era composta por vários criminosos. Durante a ação, também foram encontrados explosivos.

O serviço de inteligência da PM vinha monitorando o grupo há muito tempo.

Segundo a PM, trata-se da "maior operação" contra o crime organizado na história do Brasil.

 

Novo cangaço?

 Usada para mencionar quadrilhas especializadas em assaltos volumosos a bancos, a expressão “novo cangaço” foi batizada há cerca de trinta anos no Brasil. Os grupos são responsáveis por crimes de grande repercussão, como o assalto à agência do Banco do Brasil em Araçatuba, em São Paulo, quando tinha a meta de roubar R$ 90 milhões e deixaram o país estarrecido com imagens de pessoas usadas como escudos-humanos.

 

Comentários
×