Perdoar, uma cultura para os fortes

Como Jesus Cristo mesmo disse, “Quem nunca cometeu erros na vida que atire a primeira pedra”. Quem nunca se equivocou, fez um julgamento errado ou prejudicou alguém  mesmo que involuntariamente. É a partir dessa percepção que começo o meu texto de hoje, pois a busca pelo perdão começa por perdoar, perdoar inclusive aquele que, de certa forma seria quem realmente tem que lhe pedir perdão por algo. 

Em diversos momentos na vida passamos por provações, por desafios e, em muitos casos, por obstáculos quase que insuperáveis. Somos afetados e prejudicados dia a dia, ficamos magoados, com raiva e por muitas vezes nem queremos olhar para determinada pessoa, imagine perdoar então. Logo, perdoar pode se tornar algo difícil e até mesmo improvável.

Mas guardar rancor por um tempo prolongado gera sérias implicações em nosso bem-estar emocional, mental e físico? Quando alguém nos faz mal, o melhor remédio para isso é perdoar. Essa difícil tarefa precisa ser aprendida e exercitada. Sabemos que não se trata de algo tão simples e que essa atitude não pode ser subestimada.

Por isso, devemos entender que perdoar não significa livrar o outro da culpa. Tampouco esquecer o que aconteceu. Significa deixar o sofrimento ir embora. E leva tempo até que estejamos prontos para aprender a perdoar.

Entender o poder do perdão é preciso, e antes de tudo, compreender que perdoar tem a ver com o fato de que o mundo não gira apenas ao seu redor. Sim, você é aquele cujo ego foi ferido e que executará a ação de perdoar. Mas, além de pensar apenas em si mesmo, você também precisa olhar para toda a situação do ponto de vista da outra pessoa.

A atitude de perdoar pode melhorar seu bem-estar psicológico e físico. E, fisicamente falando, o perdão muitas vezes está relacionado à diminuição da frequência cardíaca, redução da pressão arterial e maior alívio do estresse. Também pode reduzir a fadiga e melhorar a qualidade do sono. Em termos psicológicos, o perdão elimina a experiência negativa do estresse e do conflito interno. E, ao mesmo tempo, ajuda a restaurar sentimentos, comportamentos e pensamentos positivos.

Quando você realmente perdoa alguém, isso diz mais respeito a você do que ao outro, afeta positivamente sua vida mais do que a do outro. A vida segue em paz para você. Então, perdoe, se livre desse peso. Como eu digo, às vezes, eu não guardo nem dinheiro, o que dirá rancor. Eu te perdoo, seja você quem for. Amém.

Alguns poemas, frases ou pensamentos sobre o tema

 

Mágoa é lamber frio o que o outro cozinhou quente demais para nós 

(Guimarães Rosa)

 

Deixe a procrastinação

Afaste sua aflição

Abra seu coração

E pratique o perdão

 

(Welber Tonhá)

 

O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte.

(Mahatma Gandhi)

 

Não levante a espada sobre a cabeça de quem te pediu perdão.

(Machado de Assis)

 

O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício.

(Martin Luther King)

 

Se você errou, peça desculpas...

É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

(Cecília Meireles)

 

Quem não perde perdão não é nunca será perdoado.

(Vinicius de Moraes)

 

Só quem entende a beleza do perdão pode julgar seus semelhantes.

(Sócrates)

 

Tributo a Guimarães Rosa

 

Geraldo Magela estará presente no evento da Academia Divinopolitana de Letras (ADL), sua apresentação tem o tema: “Guimarães Rosa: Um Chamado João.” – Ju Sousa será a atração musical, entrada franca.

O evento será na sede da academia, no dia 19 de novembro, a partir das 8h30, um tributo à Guimarães Rosa. 

 

Continuamos a falar um pouco sobre os prefeitos na história de nossa cidade. Agradeço o acesso a essa pesquisa ao amigo Marcos Crispim do Arquivo Público de Divinópolis.

 

23ª. Gestão - Fábio Botelho Notini.

- 23ª. Gestão (01/01/1963 a 15/05/1966);

- 28ª. Gestão (31/07/1977 a 13/05/82);

Vice-prefeito: (1º mandato - Oribes Batista Leite); 2º mandato Galileu Teixeira Machado

 

Nasceu em Divinópolis, filho de Licínio Notini e Maria José B. Notini. Estudou no Grupo Pe. Matias Lobato, Ginásio São Francisco, de Pará de Minas, Colégio S.to Agostinho, na Capital, e formou-se Engenheiro Elétrico, por Itajubá. Presidiu a Empresa Eletricidade Divinópolis- Cajuru e a Fitedi. Vereador em 1962; deputado por três mandatos e duas vezes prefeito, não completando o segundo, por questão de saúde. 

Principais realizações: Criou postos de saúde na periferia, trabalhou pela escola do Senai, CESU e bairro Danilo Passos, instalação do Horto florestal do Gafanhoto,iniciou a construção da Praça Benedito Valadares.

 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

Comentários
×