Pequenos negócios foram responsáveis por 78% dos empregos criados em 2021

Comércio varejista se mantém como setor com mais empresas ativas

 

Da Redação

Levantamento Econômico apresentado à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, pelo Instituto Vitaltec, com base nos dados do Ministério da Economia, aponta que no acumulado do ano de 2021 foram constituídas 7.054 novas empresas em Divinópolis e extintas 3.053, resultando num saldo positivo de 4.001.

 

Vagas 

O saldo positivo na criação de novas empresas implica diretamente na criação de novas vagas no mercado formal. É destaque o comércio varejista, que possui maior número de empresas ativas

— Analisando os segmentos econômicos com os maiores números de empresas constituídas na cidade, nota-se, como no resto do país, uma forte presença do setor terciário. As atividades com os maiores números de empresas ativas até dezembro foram o comércio varejista de acessórios do vestuário, cabeleireiros e manicures, confecção de vestuários, promoção de vendas e obras — avalia o economista da Vitaltec, Leandro Maia.

 

Aumento significativo

Na cidade, de janeiro até dezembro de 2021, foram registrados aumentos significativos de empreendimentos caracterizados como empresário individual em Divinópolis. Do total de negócios existentes em dezembro de 2021, 73,2% eram de empresários individuais, 22,7% de sociedades limitadas e somente 3,23% eram Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli).

Para o economista Leandro Maia, é preciso observar o comportamento do mercado.

— Temos que verificar ao longo do ano 2022 como será o comportamento para uma análise mais profunda. A princípio, os indicadores econômicos não são favoráveis para o empreendedor, pois temos uma taxa de juros bastante elevada decorrente da alta da inflação, que tem afetado diretamente no consumo, refletindo nas vendas do comércio e da indústria. Porém a tendência continua sendo a criação de novas pequenas empresas em decorrência da falta de oportunidade de recolocação no mercado, gerando assim mais vagas — explica.

 

Brasil

Das 2,7 milhões de novas vagas de empregos criadas no Brasil em 2021, 78% foram geradas por micro e pequenas empresas, segundo levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base em dados do Caged, do Ministério do Trabalho.

Os pequenos negócios foram responsáveis por 2,1 milhões de postos de trabalho, enquanto as médias e grandes empresas fecharam o ano com um saldo positivo de 505,4 mil novos empregos.

— Isso significa dizer que a cada 40 postos de trabalho gerados no Brasil, em 2021, 31 foram criados pelas micro e pequenas empresas. Mesmo apresentando um saldo negativo em dezembro, o que geralmente ocorre nesse mês do ano, os pequenos negócios mostraram a importância que têm para a retomada econômica — afirma o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Após 11 meses consecutivos de saldos de contratações positivos, dezembro de 2021 apresentou saldo negativo de 265.811 postos de trabalho. As médias e grandes empresas foram as que mais demitiram e reduziram seus quadros em 141.144 postos, seguidas pelas micro e pequenas, com uma redução de 91.583.

 

Comparação

Na comparação entre o resultado acumulado entre os anos de 2020 e 2021, as micro e pequenas empresas criaram quase 38 vezes mais postos de trabalho no ano passado.

Em 2020, primeiro ano da pandemia, o Brasil teve um saldo total negativo de 191.455 contratações, apesar de as micro e pequenas empresas terem apresentado um saldo positivo de mais de 56 mil empregos. O resultado ruim é atribuído às médias e grandes, que foram responsáveis por menos 274.220 postos de trabalho.

 

Atividades em alta

O estudo do Sebrae mostra também as dez atividades que mais geraram empregos em 2021 entre as micro e pequenas empresas. Juntas, elas foram responsáveis por mais de 450 mil novas vagas. Confira a lista:

Construção de edifícios: 93.439 vagas

Restaurantes e similares: 57.511 vagas

Transporte rodoviário de carga (exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional): 49.565 vagas

Supermercados: 49.301 vagas

Serviços combinados de escritório e apoio administrativo: 45.859 vagas

Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios: 36.839 vagas

Comércio varejista de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas: 31.984 vagas

Minimercados, mercearias e armazéns: 29.133 vagas

Lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares: 28.854 vagas

Serviços de engenharia: 27.531 vagas

Comentários
×