PC prende suspeito de assassinar ex-companheira na frente da filha

Caso aconteceu em Belo Horizonte

Da Redação

Um homem, de 25 anos, foi preso suspeito de assassinar a esposa, de 23 anos, na frente da filha da mulher. O crime teria acontecido no dia 13 de fevereiro deste ano, no bairro Alto Vera Cruz, Belo Horizonte.  O investigado foi localizado na casa da atual namorada, em Justinópolis.

Conforme apurado pelo Núcleo Especializado de Investigação de Feminicídios, do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima foi atingida com quatro disparos de arma de fogo em um ponto de ônibus do bairro, ocasião em que ela se deslocava para a delegacia, acompanhada por uma amiga e pela filha mais velha (fruto de outro relacionamento), a fim de denunciar o ex-companheiro. A mulher não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Falas

— A criança presenciou o feminicídio da mãe e correu para se abrigar dentro da igreja, um fato que para nós foi simbólico e tocou a todos — acrescenta o chefe da Divisão Especializada em Investigação de Crimes Contra a Vida (DICCV), delegado Frederico Abelha.

A delegada que coordenou as investigações, Ingrid Estevam, conta que o casal ficou junto por quatro anos e, inclusive, tiveram uma filha, atualmente com 4 anos.

— Desde o início, esse relacionamento foi marcado pelo ciclo de violência doméstica. A vítima acreditava que o suspeito podia mudar de comportamento, o que é, infelizmente, uma assinatura para o feminicídio — pontua.

De acordo com a delegada, o suspeito estabelecia uma vigilância constante sobre a vítima e afirmava para a mãe dela que iria matar a ex-companheira. Dias antes do feminicídio, ele ainda teria efetuado inúmeros disparos contra o portão da casa da mulher.

— O suspeito tem um histórico de violência contra a mulher, não só contra a vítima de 23 anos, mas contra outras mulheres com quem ele se relacionou — ressalta.

A polícia acredita que a motivação para o crime seja a inconformidade do investigado com o fim do relacionamento do casal.

 

Comentários
×