Onde está o futuro?

Onde está o futuro?

Laiz Soares 

A escola nunca deixou de fazer parte da minha rotina. Ainda hoje, passo parte de meus dias em contato com professores e alunos por meio de palestras sobre o mercado de trabalho e oportunidades para jovens. Nesse ambiente, aprendo muita coisa, ajudar os jovens que encontro no desenvolvimento dos seus futuros é uma realização para mim, mas constantemente me deparo com algo muito preocupante, a falta de perspectiva da juventude.

 

São jovens que estão no começo de suas vidas, alguns de apenas 14 anos, que não conseguem enxergar um futuro. Eles desistiram de seus sonhos e não encontram apoio para o começo de suas vidas profissionais. Essa não é uma realidade de apenas alguns estudantes, muito menos algo local, isso é o que passamos em todo o Brasil!

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, junto com o Todos pela Educação, aproximadamente 244 mil crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos estavam fora da escola no segundo trimestre de 2021. É um aumento de 171% em comparação a 2019, quando 90 mil crianças estavam fora da escola. Estamos com o menor índice desde 2012.

 

Esse número é desesperador, a juventude brasileira encontra-se desamparada. No último ano, tivemos o menor índice de inscritos no Enem em 13 anos. Com o aumento da desigualdade social, o desemprego e o subemprego, a juventude perdeu a capacidade de sonhar.

A evasão escolar é um problema urgente no Brasil e seus efeitos podem prejudicar toda a sociedade e impactar o nosso futuro. Fora das escolas, as chances de mobilidade social desses jovens caem intensamente. 

Entre as maiores consequências encontra-se a exclusão do mercado de trabalho. Das pessoas impactadas pelo desemprego na pandemia, apenas 5,6% eram profissionais com ensino superior completo. Em contrapartida, o número de desempregados com ensino médio incompleto foi de 18,4%.

Não podemos ficar parados diante dessa situação! É fundamental que implantemos uma política educacional que ampare os estudantes em situação de vulnerabilidade! Precisamos urgentemente prevenir que mais casos como esses aconteçam, e resgatar os alunos que abandonaram a escola nos últimos anos.

Os dados mostram a seriedade desse assunto, já sabemos o que acontece todos os dias nas escolas de nosso país. Precisamos, agora, de um plano emergencial que solucione esse problema. Governo federal, estadual e municipal devem se unir neste momento contra a evasão escolar. Só assim garantiremos o futuro de nossos jovens.  




Laiz Soares é formada em relações internacionais pela PUC Minas e estudou administração e marketing na Essca na França. Fez formação executiva no Insper em Relações Governamentais no Brasil. Chefiou o gabinete da deputada federal Tábata Amaral e fundou o movimento Nenhuma a Menos.

 

[email protected]



Comentários
×