Número de pré-candidatos deve diminuir

Nomes aguardam partidos para confirmar disputa eleitoral; Agora inicia entrevistas com postulantes

 

 

Bruno Bueno

O Agora segue sua cobertura especial das eleições deste ano. A reportagem trouxe com exclusividade no mês passado a informação de que 23 nomes de Divinópolis pretendem  disputar cargos estaduais e federais.

No entanto, a lista deve diminuir. Conforme apuração da reportagem, alguns nomes não sabem se vão conseguir lançar suas candidaturas. Outros, por sua vez, ainda não têm certeza em qual pleito vão concorrer.

 

Voltou atrás

Luciano Augusto, que confirmou sua pré-candidatura a deputado estadual pelo PSD, é um exemplo. À reportagem, o advogado voltou atrás e disse que “está aguardando o partido para algumas questões que envolvem a sua pré-candidatura, somente após isso ele se decidirá”. 

Na ocasião, ele agradeceu pela lembrança de seu nome. Em abril, o profissional, especialista em crimes eleitorais,  concedeu uma entrevista ao Agora alertando sobre o outdoor difamando o pré-candidato à presidência Lula (PT) em Divinópolis. O autor do material foi processado pelo partido do petista.

 

Indecisão

Flávio Marra (Patriota) é outro que está indeciso. Ele confirmou ao Agora que vai disputar um cargo nas eleições deste ano, mas ainda não sabe ainda qual. Segundo o vereador, sua pré-candidatura a deputado federal está condicionada ao lançamento de Cleitinho Azevedo (PSC) ao Senado. 

Caso o irmão de Gleidson Azevedo (PSC) seja “boicotado” pelo partido e dispute a eleição para o Congresso, Flávio vai tentar uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O parlamentar da Câmara de Divinópolis promete divulgar sua decisão na semana que vem.

 

Estadual

No último levantamento do Agora, quatro vereadores confirmaram que devem concorrer ao cargo de deputado estadual. São eles: Lohanna França (PV), Josafá Anderson (CDN), Eduardo Azevedo (PSC) e Edsom Sousa (CDN). Flávio Marra (Patriota), como dito, vai concorrer, mas não sabe por qual partido.

 

Até o momento, a única que já iniciou publicamente a campanha é Lohanna. Em publicação nas redes sociais, a parlamentar justificou sua pré-candidatura dizendo que “precisamos transformar os espaços de poder”.

Além deles, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis (Sintram), Luciana Santos, vai concorrer pelo PSD. Valéria Morato (PC do B), presidente do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro), é mais uma na lista.

O ex-vereador Delano Santiago (PRTB) também luta para chegar à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Flávia Gontijo (SD),  assistente social, foi candidata a vereadora em Divinópolis nas últimas eleições e também estará no páreo.  Fechando a lista, Thay Araújo (PT), professora e ativista, confirmou na última pesquisa que também pleiteia uma vaga na Assembleia. Ela foi candidata a vereadora nas últimas eleições e recebeu cerca de 990 votos. 

 

Federal

Domingos Sávio (PL) tenta seu terceiro mandato consecutivo na Câmara Federal. O político filiou-se ao partido do presidente Jair Bolsonaro e declarou apoio na pré-candidatura do chefe do Executivo Nacional.  Jaime Martins (União Brasil), que já foi deputado federal por seis mandatos consecutivos, tenta voltar ao Congresso Nacional. Sargento Elton (Patriota) aposta em pautas conservadoras para também chegar lá. 

Diego Espino (PSC) confirmou ao Agora sua intenção de disputar uma vaga para deputado federal. Com mais de 100 mil seguidores nas redes sociais, o parlamentar aposta no apelo popular para chegar a Brasília. Gleide Andrade (PT) é mais uma na lista.

A lista se encerra com dois nomes que disputaram a última eleição para a Prefeitura de Divinópolis. Fabiano Tolentino (PSC), para deputado federal. Laiz Soares (SD), terceira colocada na disputa pela Prefeitura em 2020, é mais uma cara conhecida da população que tentará conquistar um cargo em Brasília. 

Cleitinho Azevedo (PSC) deve disputar uma vaga para o Senado Federal. Se eleito, ele será o primeiro divinopolitano a assumir uma cadeira neste pleito.

 

Prejuízo

A expressiva quantidade de pré-candidatos preocupa quem entende do assunto. Italo Soares, especialista em gestão pública e política, alerta que a polarização pode impedir a eleição de candidatos que realmente têm chance de se eleger.

— Embora Divinópolis seja um dos maiores colégios eleitorais de Minas, a cidade pode estar ameaçada de ter uma baixa representatividade no Congresso e na Assembleia, acaba dividindo o eleitorado e impede que nomes que tenham visibilidade sejam eleitos — afirmou.

Ele também aponta os motivos pelos quais alguns políticos disputam a eleição mesmo sabendo que não têm chance de vitória.

— Outros acabam se candidatando apenas para esquentar nome para as próximas eleições, sejam municipais ou nacionais. Essa estratégia que alguns usam beneficia apenas eles próprios. Enquanto isso, a população é prejudicada — disse.

 

Entrevistas

Com a intenção de informar o eleitor e também possibilitar para que ele possa conhecer um a um, o Agora inicia neste mês uma série de entrevistas com todos os pré-candidatos de Divinópolis. Em breve, o grupo de comunicação vai divulgar mais detalhes sobre a série.

 

Comentários
×