Novo julgamento para Jesus

PARA DIA 14 DE ABRIL DE 2022 

Augusto Fidelis

 

Novo julgamento para Jesus

Na atualidade, muito mais que antes, eleva-se o número de judeus que acreditam ser Jesus o Messias prometido e querem reconhecê-lo como tal. Nesse sentido, um judeu ortodoxo chamado Ariel Cohen Alloro, residente em Jerusalém, trabalha para que Jesus tenha outro julgamento e, absolvido, seja recebido como membro legítimo da comunidade judaica. Essas informações estão no site “Brasileiros de Origem Judaica”.

Ariel não é rabino, mas um sacerdote descendente de Aarão irmão de Moisés, e acredita que o Messias já veio, mas foi condenado e morto por seus antepassados, corruptos e ávidos pelo poder e riqueza, que se sentiam confortáveis com os “favores” concedidos pelas autoridades romanas. A pregação de Jesus era vista como uma ameaça ao bem-estar da elite do Templo.

A reconciliação de Jesus com o povo judaico é um movimento 100% ortodoxo e, para viabilizar o seu intento, Ariel criou uma instituição chamada “Facing each other – Judaísmo e Cristianismo encarando um ao outro”, reconhecendo, porém, que se trata de um assunto polêmico e muito delicado, porque mexe numa ferida aberta há dois mil anos.

Para levar adiante a sua empreitada, Ariel tem o apoio do rabino Yitzchak Ginsburg, uma das maiores autoridades judaicas da atualidade. Ambos preparam uma cerimônia, ainda sem data marcada, chamada “Redenção do Filho Primogênito”, que reverterá a venda de Jesus, pois Judas, um de seus discípulos, o vendeu por 30 moedas de prata aos sacerdotes do Templo, e estes o entregaram às autoridades romanas, que o crucificaram.

Na referida cerimônia, o rabino Yitzchak Ginsburg, que representará o povo judeu, pagará uma quantia significativa em dinheiro ao sacerdote Ariel, resgatando simbolicamente Jesus e o inserindo de volta à comunidade judaica, dizendo estas palavras: “Bendito é o que vem em nome do Senhor”. Ariel abençoará o rabino com a bênção sacerdotal.

Após a cerimônia de reinserção de Jesus no seio da comunidade judaica, Ariel e o rabino farão novo julgamento para Jesus na presença dos dez maiores rabinos do judaísmo. Ariel atuará como advogado de defesa respondendo os questionamentos levantados pelos rabinos e explicará as palavras de Jesus à luz das escrituras hebraicas. O rabino Yitzchak Ginsburgh será o juiz, que dará o parecer final. 

A partir dessa iniciativa, Jesus não será mais um tabu dentro da comunidade judaica, e os judeus terão a liberdade de aceitá-lo ou não. Seja qual for a escolha, será respeitada pelo judaísmo. No século XIX o rabino húngaro Isaac Lichtenstein já ensinava na sinagoga lições do Novo Testamento e deixava seus discípulos encantados. Tudo indica que a segunda vinda de Jesus está realmente próxima. Quem viver verá!

Comentários
×