Nova anatomia

Wagner Penna

NOVA ANATOMIA

 O circuito da “underwear” (moda íntima) anda em polvorosa, procurando meios de se integrar às novas normas sociais e ao novo estilo de vida dos consumidores em geral.

 No primeiro caso, os protagonistas da diversidade de gênero agora terão a seu dispor uma linha de “lingerie” exclusivamente dirigida ao público trans. Isso mesmo, são calcinhas com “design” ajustado à anatomia dessa turma. E é também para eles que um empresário passou a oferecer seios de silicones, atendendo o público travesti.

 Para as jovens dedicadas aos esportes e/ou cultivo do corpo, a preocupação é com os sutiãs especialmente moldados para elas. É algo difícil, principalmente pela diversidade de formatos e tamanhos dos corpos dessas consumidoras. Mas os novos tecidos e minuciosos estudos de anatomia acabaram criando dezenas de tamanhos e formatos para atendê-las. Uma disputa gigante, com as megamarcas no páreo como Adidas, que criou 43 novos estilos e 72 tamanhos de suportes para os seios.

 E tem mais: a tradicional Casa das Cuecas (fundada em 1968) atualizou sua linha de produtos e assinou contrato com o argentino Messi – com modelos assinados por ele em torno de R$ 80,00. E tem ainda sungas, camisetas e bermudas com a grife do famoso jogador.

 Como se vê, aos poucos a moda vai pensando também no conforto íntimo – e não apenas na estética.

 

VAIVÉM

  • O período mais ameno da pandemia parece que impulsionou as vendas na moda. A saber: o Grupo Soma (que tem marcas como Hering, Farm, Animale e outras) teve seu maior lucro da história, realizado no último trimestre de 2021. Os cifrões chegaram a quase 50 milhões líquidos. Outras megamarcas seguiram o mesmo ritmo. Amém!

 

  • O Salão Casamoda (para vendas, em pronta-entrega, aos lojistas) foi realizado, em São Paulo, no hotel Grand Mecure. Além das coleções das marcas, a turma se divertiu no espaço instagramável (isto é, com décor para fotografar e postar) todo em detalhes brilhantes. Uma sinalização de muito glitter no inverno 2022.

 

PONTO FINAL.

Com a transferência do carnaval (oficial) das escolas de samba, no Rio e São Paulo, para o dia de Tiradentes (21 de abril), os carnavalescos de plantão se animaram. Muita gente está costurando fantasias para assistir aos desfiles pela tevê em bloquinhos organizados nos bares & praças, tal e qual se faz com as partidas de futebol. Por falar no assunto, os paulistanos inauguraram, agora, 64 mil metros de construção novinha para os barracões das escolas de samba de lá. Cada uma vai receber um pavilhão de 4500 m². E pensar que, no Rio, as escolas de samba tem seus barracões em armazéns velhos da zona portuária.

 

Comentários
×