Neuropsicopedagoga estreia coluna no Agora

Intuito é explorar importância do acolhimento às pessoas com Transtorno do Espectro Autista e suas famílias

 

 

Da Redação 

A neuropsicopedagoga Naiara Santos estreia hoje, 10, sua coluna no Agora. Naiara é especialista em educação inclusiva e abordará, quinzenalmente, um assunto de extrema importância para a sociedade: o autismo. 

Ela destaca que o tema será tratado de uma forma leve. Mãe de uma criança com Transtorno do Espectro Autista (TEA), Naiara reforça a importância de ter um direcionamento sobre o assunto, além do apoio às famílias. 

— Às vezes, as famílias se colocam em uma gaiola, em uma prisão, sem conversar com o restante da família, com os avós, com os amigos, com os vizinhos, ficam com medo de a sua criança ser hostilizada, e o assunto deve ser tratado com leveza, deve ser aberto — ressalta. 

Acolhimento

A neuropsicopedagoga orienta ainda como deve ser feito o primeiro acolhimento à família que acabou de receber o diagnóstico de autista de sua criança. Segundo a profissional, não emitir opiniões é primordial. A pergunta ‘Como posso te ajudar?’ é a mais indicada para o momento. 

— Nesse primeiro momento, após o diagnóstico, o ideal é perguntar ‘como eu posso te ajudar?’ ou ‘onde eu posso aprender mais sobre o assunto?’, porque só com conhecimento que a gente vai poder ajudar a família e a criança, e tirar uma carga que está sobre essa mãe, que está sempre sobrecarregada — reforça. 

O acolhimento às mães também será um dos temas abordados por Naiara em sua coluna. A neuropsicopedagoga destaca que a maioria das mães de crianças com espectro autista se sentem abandonadas, sendo de suma importância acolhê-las. 

— Essas mães estão em um momento de fragilidade, porque espera-se que a sua criança tenha um desenvolvimento típico, dentro dos marcos do desenvolvimento e, de repente, você começa a perceber algumas diferenças e aquela mãe começa a ter o sentimento de medo — frisa. 

A coluna “Naiara Educa” será publicada no jornal impresso todas as terças-feiras, nas redes sociais e no site do Agora.

Comentários
×