Não é o que parece

Augusto Fidelis

Tão logo tomou conhecimento que morrera o seu amigo de infância, Charles Joaquim, Teodoro da Fonseca dirigiu-se às pressas ao velório, certo de que encontraria uma multidão em prantos, visto que, só no Facebook, Charles era um homem de cinco mil amigos. Porém, ao se aproximar do local, surpreendeu-se com a ausência do movimento de pessoas e veículos.

Estacionou, desceu do carro, ajeitou a camisa por dentro da calça e adentrou no salão. Como é costume, Teodoro encontrou Charles Joaquim deitado no seu ataúde, um crucifixo na cabeceira, com duas velas acesas, e apenas uma coroa de flores. Velavam o defunto cinco pessoas: a esposa, a filha e três amigos, também dos tempos de calças curtas.

Teodoro cumprimentou a viúva e a herdeira, contemplou demoradamente o falecido na sua inércia e depois dirigiu-se ao amigo mais próximo: 

— Engraçado, Ângelo, pensei que isto aqui estaria abarrotado de gente, porque o Charles se gabava de ter cinco mil amigos no Facebook.

— Teodoro, meu irmão, os amigos do Facebook não existem, eles são virtuais.

— Ora, como não existem?! Eu recebo e mando mensagem para os meus, que já são mais de três mil! Sabe, Ângelo, isso me preocupa: quer dizer que, se eu morrer, não haverá número suficiente para carregar o meu caixão?

— Não se preocupe com isso, Teodoro, bobagem sofrer por antecipação. Sêneca foi conselheiro de Nero, um dos imperadores mais cruéis de Roma que, inclusive, o obrigou ao suicídio. Mas Sêneca disse o seguinte: “O homem que sofre antecipadamente, sem ser necessário, sofre mais do que o necessário”. Então, meu amigo, morre primeiro, para a gente ver o que acontece.

— Para a gente ver o que acontece? E se você morrer antes de mim, Ângelo?

— Teodoro, nessa cachaça brava que você anda, caramba, amarre as calças. Se começar a inchar os pés, meu amigo, é sinal de que a hora se aproxima. Assim, o melhor é você se voltar para seus amigos de carne e osso. Amigos do Facebook não carregam o caixão de ninguém.

Teodoro e Ângelo continuaram nessa prosa, filosofando sobre a vida e a morte, sobre a gratidão e a ingratidão, enfim, como fazer e conservar os amigos sinceros, com os quais se pode contar em momentos de aflição. De repente, estacionou o carro preto. Logo depois, o agente funerário ordenou: — Seis homens para carregar o caixão!

Não havia seis homens no local. Em meio ao suspense, a viúva e a filha criaram coragem: com os quatros amigos que ali estavam, poderiam muito bem conduzir Charles Joaquim à sepultura. E assim foi feito. Os amigos do Facebook, que não tomaram conhecimento da morte de Charles, continuaram compartilhando mensagens e vídeos.

[email protected]

Comentários
×