Na ALMG, prefeito Gleidson cobra “tarifa justa” da Copasa

Audiência pública reuniu representantes mineiros sobre unificação de tarifas

Matheus Augusto

O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) participou ontem, pela manhã, de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para tratar sobre a unificação das tarifas de água e esgoto. A reunião foi convocada pela Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da ALMG, por meio dos deputados Cleitinho Azevedo (Cidadania), Elismar Prado (Pros) e Ione Pinheiro (DEM).

 

Críticas

Durante seu tempo de fala, Gleidson criticou a mudança, especialmente nos casos em que houve aumento da cobrança.

— Como sempre, as dores dos prefeitos de Minas Gerais são as mesmas. Mais uma vez, é um tapa na cara da população e dos prefeitos. Eles [Copasa] não tiveram a hombridade de estarem aqui presentes. Coloquem o rosto —  cobrou.

O prefeito de Divinópolis também destacou a necessidade de uma solução para o cenário.

— O que a população quer hoje é ação. A Arsae vem enriquecendo a Copasa (...) Eles têm a coragem de falar que a unificação foi de forma justa. Lá em Divinópolis a forma justa deles é de 8%,  que são quem tem tratamento de esgoto; 92% não têm esgoto. É uma vergonha. Chega! Chega de audiência, de blá-blá-blá — afirmou.

 

Privatizar

Como sugestão, citou a opção de o governador Romeu Zema (Novo) privatizar a estatal, bem como os juízes darem causa favorável ao municípios que entraram com ação para inviabilizar a mudança da tarifa, como Divinópolis

— A população está sofrendo —  argumentou.

Ele relatou ainda ter recebido relatos de diversos moradores contra a unificação dos tarifas, de cidadãos que precisam escolher pagar a conta de água ou a de luz no mês.

—  Eu saio daqui mais revoltado do que cheguei. É uma vergonha, nós, como agentes públicos, sairmos das nossas cidades, com dinheiro público para pagar gasolina para chegarmos aqui — pontuou.

Por fim, Gleidson criticou o presidente da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

— Que o Antônio Claret possa ter a hombridade de voltar atrás. A população quer dignidade, com uma tarifa justa — finalizou.

 

Posicionamento

Criticado em outras oportunidades, o presidente da Arsae já se manifestou e defendeu a decisão de unificar as tarifas. Segundo ele, “a revisão tarifária da Copasa reduziu a tarifa média e encerrou privilégio tarifário para uma pequena quantidade de pessoas que tinham parte da conta bancada pelos demais”. 

— Não procede essa narrativa [de aumento]. Foi a primeira redução em quase 60 anos. Infelizmente, 11% dos mineiros vão sentir um aumento. Esses 89% pagavam uma parte da conta desses 11 e não mais foi encerrado esse privilégio — afirmou, citando a defesa da “justiça tarifária”.

Sobre a cobrança da tarifa de esgoto em locais onde não há tratamento, Antônio Claret explicou que o pagamento pelo serviço não diz respeito exclusivamente ao tratamento.

— Se a concessionária coleta seu esgoto e leva para longe também é um serviço — justificou.

 

Copasa

A Copasa também já informou, em nota neste mês, que investe mais de R$ 143 milhões em Divinópolis para ampliação e melhoria do sistema de esgotamento sanitário. 

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Rio Itapecerica encontra-se em fase de testes, retomados em setembro de 2021, e encontra-se com 95% de suas estruturas implantadas. A unidade tratará 95% da população de Divinópolis com capacidade de 400 litros por segundo — detalhou. 

 

Unificação

A tarifa de água foi revisada e a de esgoto unificada, deixando de ter a diferença entre a cobrança pelo serviço de coleta e a cobrança pelo serviço de coleta e tratamento. Para quem tem apenas o serviço de coleta de esgoto, a tarifa passou de 25% para 74% da tarifa de água. Como exemplo, uma conta de R$ 20 de água gerava mais R$ 5 de esgoto, totalizando R$ 25. Agora, para a mesma conta de R$ 20, são mais R$ 14,80, totalizando R$ 34,80.

Já para quem tem o serviço de coleta e tratamento de esgoto, a tarifa diminuiu de 100% para 74% da tarifa de água. Para uma conta de R$ 20 de água, antes seriam mais R$ 20 de esgoto, totalizando R$ 40. Agora, serão mais R$ 14,80, totalizando também R$ 34,80.

 

Comentários
×