Muito esperado, depoimento da vice-prefeita será na quarta

Antes, a CPI da Educação ouve a gerente de Políticas Educacionais e a servidora do financeiro; as duas, amanhã

 

Da Redação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Educação começa junho com depoimentos cruciais para as investigações de possível superfaturamento na compra de materiais para escolas municipais no valor de, aproximadamente, R$ 32 milhões. Estão agendados seis depoimentos ‒ o da vice-prefeita e secretária Municipal de Governo, Janete Aparecida (PSC), amanhã, às 14h, é o mais esperado.

O vereador e presidente da CPI, Josafá Anderson (Cidadania), acredita que a vice-prefeita poderá esclarecer sobre as responsabilidades das compras milionárias. 

— Até agora temos um jogo de empurra-empurra entre os secretários aqui ouvidos pela CPI. Estamos confiantes nesse depoimento da vice-prefeita. Precisamos esclarecer quem autorizou essa compra — afirmou Josafá. 

Para a relatora da comissão, Lohanna França (PV), os depoimentos serão importantes para compreender mais detalhes do processo. 

— Assim como as oitivas já realizadas, as próximas também são importantes para esclarecimentos sobre os processos de compras realizados pela Semed em dezembro de 2021. A oitiva de todos os envolvidos nas compras é importante para  a devida apuração dos fatos

 

Oitivas

A secretária municipal de Educação, Andréa Dimas, foi a primeira a ser ouvida. Ela destacou que a Secretaria Municipal de Governo autorizou a compra. Já o secretário Municipal de Administração, Tiago Nunes, afirmou em depoimento que a responsabilidade das compras é de cada secretaria.

Ainda prestarão depoimentos a gerente de Políticas Educacionais, Ana Paula Cândido, hoje, às 9h, e a servidora do financeiro da Secretaria de Educação, Daniela Maria de Almeida, às 10h30.

Na quarta-feira, além da vice-prefeita, o coordenador de compras, Rafael Virginíssimo, será ouvido, às 13h. 

Ainda serão ouvidos o secretário de Fazenda, Gabriel Vivas, no dia 14, às 9h, e o servidor municipal Agilson Emerson, às 10h30. 

 

CPI

A CPI foi instalada após denúncias do vereador Ademir Silva (MDB) de irregularidades nos preços de produtos como notebooks, brinquedos e mobiliários para as escolas municipais.

Os equipamentos foram adquiridos pela Prefeitura de Divinópolis com valores até 800% acima do praticado pelo mercado, apontaram os documentos da denúncia. O brinquedo play balls quádruplo, que é uma espécie de cesta de basquete com quatro saídas, teria custado R$ 9.9 mil. Ao todo, foram quase 130 unidades adquiridas pela prefeitura.

Os valores foram registrados nas atas de preço do Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Cispar). As compras foram realizadas em licitações compartilhadas entre as prefeituras e outros serviços de cooperação.

 

Comentários
×