Motoristas aceitam reajuste salarial

Percentual foi metade do desejado, mas outros pontos fizeram categoria aceitar a decisão

 

Da Redação

Os motoristas de ônibus aceitaram a proposta de reajuste salarial oferecida pelo Consórcio TransOeste. O aumento dado à categoria prevê o reajuste de 11% (metade do reivindicado, que era de 22%) e de 16,66% do ticket alimentação. A partir de agora, a remuneração passa a ser de R$ 2.220 com plano de saúde, mais R$ 420 de ticket alimentação. 

Outros dois acordos foram fundamentais para a proposta ser aceita: o fim do banco de horas e o pagamento das horas extras no mesmo mês. Anteriormente, a empresa pagava com até 120 dias, ou seja, quatro meses, o trabalho adicional. 

A decisão ocorreu após votação em duas assembleias, a primeira no período da manhã e a segunda na parte da tarde, no Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Divinópolis (Sintrodiv). 

— O ponto fundamental para os profissionais aceitarem o valor de 11%, a metade do reivindicado, foi o fim do banco de horas — contou o presidente do sindicato, Erivaldo Adami da Silva.

 

Discussões 

O início das negociações ocorreu na tarde desta segunda-feira entre empresários do transporte e o sindicato, e se estendeu por várias horas. Foi quando foram ofertadas as propostas levadas à categoria durante todo o dia desta terça-feira.

 

De manhã 

A primeira assembleia ocorreu às 9h. Cerca de 45 profissionais compareceram e votaram. O clima era de divisão entre aceitar ou rejeitar a proposta oferecida pelo Consórcio TransOeste. Quem era contra via a necessidade de ampliar o reajuste, além de outras reivindicações da categoria. 

 

À tarde 

A segunda reunião começou por volta das 15h e se estendeu até o início da noite, com a participação de aproximadamente a mesma quantidade de trabalhadores. No fim, os profissionais decidiram aceitar a proposta, em especial pela garantia do fim do banco de horas. 

 

Comentários
×