Moradores de São Sebastião do Oeste afirmam estar há cinco dias sem água

Denúncia feita pelo vereador Rômulo Beirigo mostra vazamento de reservatórios da Copasa; empresa diz que situação já foi resolvida

Bruno Bueno

Cinco dias sem tomar banho, lavar roupa e tomar água. Essa é a situação relatada por moradores de alguns bairros em São Sebastião do Oeste, cidade localizada a 25 km de Divinópolis. O abastecimento teria sido interrompido na última sexta e não retomado até ontem. 

A denúncia recebida pela redação do Agora foi enviada pelo vereador Rômulo Beirigo (PDT) na tarde de ontem. O parlamentar relata que a situação se tornou frequente no município e tem afetado os moradores.

— Nós estamos com uma situação cada dia mais grave. Neste mês os reservatórios vazaram três dias. Está desperdiçando água. De sexta até terça-feira são vários bairros que estão sem água. É uma situação crítica, porque o pessoal não consegue lavar, cozinhar, tomar banho etc. — afirmou.

 

Frequente

Relatos do vereador mostram que o problema é frequente na cidade. No último dia 6, o parlamentar já havia denunciado vazamento nos reservatórios do município. A situação provocou um desabastecimento em alguns bairros.

— Olha o absurdo do desperdício de água que não para. Muitos têm reclamado com razão, porque isso tem acontecido com frequência. A gente já pediu à Copasa para trazer um plantonista na cidade e resolver o problema, mas mesmo assim continua. Vamos fazer uma denúncia na Arsae e Prefeitura. A empresa não pode deixar de tomar atitudes com isso — disse à época em publicação na rede social.

 

No último sábado a situação voltou a se repetir. O vereador também publicou a denúncia em suas redes.

— Mais uma vez registrando o desperdício. Vários bairros sem abastecimento e, enquanto isso, a Copasa jogando água fora. A gente fica revoltado, porque ontem recebemos várias ligações de pessoas queixando falta de água. Fica difícil desse jeito — ressalta.

 

Relatos

O parlamentar também compareceu na residência de uma moradora e mostrou a realidade da falta de água em São Sebastião do Oeste.

— Estou na casa de uma moradora no bairro Nossa Senhora das Graças. Nenhuma gota d'água. Não dá para lavar as vasilhas, fazer um café ou tomar banho. Ela estava me contando que seu marido e filho ainda não tomaram banho. A situação está assim desde sábado até hoje (terça) — pontuou.

 

Rômulo também enviou à reportagem uma denúncia de outra moradora que também está sem água.

— Meu filho levantou para trabalhar e não tinha água para nada. Estou com um restinho aqui em casa, mas, se usar para outras coisas, vou ficar até sem água para beber — esclarece a moradora, que não foi identificada.

 

Providências 

O parlamentar afirma que já procurou João Martins, superintendente regional da empresa, para resolver a situação. No entanto, segundo ele, nenhuma resposta foi enviada.

— Entrei em contato com o diretor da Copasa e expliquei a situação, mas até agora não tive resposta. A empresa também não se manifestou. Não tem água na cidade na maioria dos bairros e a população está indignada — enfatizou.

 

Rômulo enviou na tarde de ontem um ofício ao prefeito Belinho Leite (PDT) pedindo que ele resolva o problema da falta de água.

— A situação está cada dia pior. Estou providenciando um ofício para o Executivo para que o mesmo tome providências. São vários relatos de moradores. Esse problema é recorrente, acontece com muita frequência. O pior são os reservatórios desperdiçando água — relatou.

 

Outros problemas

A reportagem também conversou com outro morador da cidade. O homem, que com medo de retaliação prefere não se identificar, disse que já ficou mais de cinco dias sem água devido a um atraso no pagamento da tarifa.

— Atrasei o pagamento de uma tarifa e cortaram minha água. Mesmo após realizar o pagamento, fiquei vários dias sem abastecimento. Foram seis dias sem poder fazer nada, fiquei desesperado. Tive que pedir ajuda para conhecidos e vizinhos, pois não tinha água nem para tomar banho, lavar roupa ou simplesmente beber. Foi um descaso — disse.

 

Contrato

A especulação na cidade é sobre a possível ruptura de contrato do Município com a Copasa. No mês passado, Divinópolis, cidade vizinha, anunciou a quebra do acordo firmado em 2011 alegando oito constatações de irregularidades. A estatal foi notificada e a Prefeitura espera abrir um novo edital até o fim de 2022. 

A possível situação em São Sebastião do Oeste não passa, por enquanto, de especulação.

 

Copasa

Procurada pela reportagem, a Copasa disse que o problema partiu dos poços que abastecem a cidade. De acordo com a companhia, técnicos foram mobilizados e realizaram a manutenção no sistema de automação. Os poços, segundo a empresa, já voltaram a operar. 

— A Copasa informa que na madrugada de hoje [ontem] ocorreu um problema na automação de dois dos quatro poços que atendem o sistema de abastecimento de água de São Sebastião do Oeste o que afetou o abastecimento nos bairros Belo Horizonte, Morada Nova, Nossa Senhora Aparecida, São João e São José. Técnicos da companhia foram mobilizados e realizaram a manutenção no sistema de automação dos poços que já voltaram a operar na manhã desta terça — afirmou.

 

Ainda de acordo com a companhia, caminhões-pipa percorreram as regiões afetadas para auxiliar no abastecimento.

— A Copasa reforça que a intermitência nestes bairros ocorreu de ontem para hoje e que as reclamações foram verificadas pelas equipes da companhia. Caminhões-pipa também foram mobilizados para apoio no atendimento destas regiões mais afetadas — finalizou.

 

Comentários
×