Minas tem 1º caso de varíola dos macacos em animal

Cachorro também é o primeiro do país; Regional de Divinópolis confirma dois casos estado tem mais de 200

Bruno Bueno

O primeiro caso nacional de varíola dos macacos em animal foi registrado em Minas Gerais. A informação foi confirmada nesta semana pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). O registro positivo veio de um cachorro em Juiz de Fora. De acordo com a SES-MG, trata-se de um filhote de 5 meses. O animal teve contato com um caso humano confirmado. Esse é o primeiro relato de transmissão da doença do ser humano para animais no estado e no país.

Detalhes

Ainda de acordo com a pasta, o dono do animal deu entrada na UPA da cidade no dia 8 de agosto. Os sintomas começaram cinco dias antes. O homem foi orientado a manter o cachorro em isolamento, além de adotar medidas sanitárias na rotina de alimentação do filhote. Luvas, máscara, blusa de manga comprida e calça para proteção da pele devem ser utilizados. A área também deve ser desinfetada com água sanitária.  

Os dois estão isolados em domicílio e passam bem. A confirmação foi comunicada pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde de Minas Gerais (CIEVS Minas).

Primeiro caso

Ainda não havia evidência documentada de transmissão da doença do ser humano para animais ou de animais para o ser humano no Brasil. Existem dois relatos no mundo, nos Estados Unidos e na França.

De acordo com os cientistas, o vírus que infectou um dos pacientes era 100% compatível geneticamente com o do cão. Em países onde a varíola dos macacos é endêmica, apenas animais selvagens foram vetores transmissíveis. 

Minas

Dados da SES/MG divulgados na tarde de ontem apontam para 221 casos confirmados da doença em Minas Gerais. O número de notificações chegou a 1.364. 538 casos foram descartados e 605 estão sendo investigados. 

— A SES-MG informa que, até o momento, há um caso confirmado do sexo feminino, 26 anos, puérpera e em monitoramento domiciliar. O restante dos casos confirmados é do sexo masculino, com idade entre 21 e 61 anos. Um paciente encontra-se em internação hospitalar por necessidades clínicas — explicou a pasta.

A região de Divinópolis tem dois casos confirmados. O primeiro em Bom Despacho. Trata-se de um homem de 42 anos que desenvolveu sintomas leves da doença e passa bem. O segundo foi registrado nesta semana em Nova Serrana. A cidade não divulgou informações adicionais sobre o paciente.

Um caso confirmado que estava em acompanhamento hospitalar para monitoramento de outras condições clínicas graves morreu no dia 28 de julho. Trata-se de um paciente de 41 anos, do sexo masculino, residente em Belo Horizonte e natural de Pará de Minas.

Brasil

Dados do Ministério da Saúde mostram que o Brasil já é o terceiro país com mais casos de varíola dos macacos do mundo. De acordo com o último boletim epidemiológico da doença, são 3.896 casos confirmados e 4.155 suspeitos; 34 crianças contraíram o vírus. A atenção para esta faixa etária é maior pelo fato da maior possibilidade de agravamento da doença em sistemas imunológicos que ainda não foram completamente desenvolvidos.

Vacina

O Ministério da Saúde protocolou, nesta semana, junto à Agência Nacional de Vigilância (Anvisa), o pedido de análise da vacina para a prevenção da varíola dos macacos, com a dispensa de registro.

— Na avaliação, a Agência irá considerar as diretrizes regulatórias estabelecidas na Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 747, de 19 de agosto de 2022, e o fato da vacina jynneos, do fabricante Bavarian Nordic, ter sido avaliada por autoridades reguladoras estrangeiras equivalentes à Anvisa  —  informou.

O processo de avaliação passará pela Comissão Técnica da Emergência Monkeypox, criada pela Anvisa e a decisão final será deliberada pela Diretoria Colegiada da Agência.

Comentários
×