Minas deve aplicar 4ª dose em pessoas acima de 30 anos

Uso obrigatório de máscaras em BH pode ser derrubado na Justiça; é o que promete o deputado Bruno Engler

 

Bruno Bueno

O deputado estadual Bruno Engler (PL) prometeu derrubar na Justiça o decreto que retomou o uso obrigatório de máscaras em locais fechados de Belo Horizonte, capital mineira. 

A decisão foi tomada nesta semana pelo prefeito da cidade, Fuad Noman (PSD), devido ao aumento nos indicativos de covid-19 do município. Bruno, no entanto, afirma que os números estão baixos e que não vê motivos para a retomada.

 

‘Absurda’

Em vídeo publicado nas redes sociais, o deputado classificou a retomada como “absurda”.

— (...) Mesmo com a imensa maioria da população vacinada. Lembra do discursinho que eles faziam? Quando a secretária foi perguntada o porquê de a Prefeitura não estar divulgando a taxa de transmissibilidade, ela disse que os índices da covid eram baixos. Ela mesmo reconhece — pontua.

Para Engler, a decisão do prefeito Fuad Noman o classifica como ditador.

— O ápice da crise já passou. O estado de calamidade pública em Minas já foi encerrado. A emergência nacional de saúde já acabou. Mas o ditador Fuad Noman quer obrigar você e sua família a usar máscara em locais fechados. Assim que essa porcaria do decreto for publicada, nós vamos à Justiça para derrubá-la — afirma.

 

Justificativa

A decisão vale, inicialmente, até o dia 31 de julho. Em nota à imprensa, o Executivo Municipal justificou a retomada do uso obrigatório após 47 dias.

— A retomada levou em consideração o aumento da positividade de testes, sendo que na semana entre 1º e 7 de maio foram realizados 6.531 exames, com taxa de positividade de 6%. Já entre o período de 29 de maio e 4 de junho de 2022, foram 20.964 testes, com 19% de positividade. Os exames foram realizados na rede própria do município — revela.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a incidência de casos de covid-19 também aumentou no município. A mudança pode ser vista em levantamento realizado nos últimos 14 dias.

— No dia 19 de maio, o número de novos casos era de 112,9 por 100 mil habitantes. De acordo com dados mais recentes, de 8 de junho, são 156 casos confirmados por 100 mil habitantes — acrescenta.



Protocolos 

A secretária de Saúde, Cláudia Navarro, reiterou que a decisão foi baseada nos indicativos da pandemia. 

— Nossos protocolos são revistos diariamente e são alterados de acordo com os dados epidemiológicos, assistenciais e baseados em evidências científicas — alerta.

 A secretária também reforçou a importância da vacinação. Na capital, a cobertura para o público infantil ainda está abaixo do esperado, com 57,1% de imunizados na segunda dose.

— A adesão ainda não é satisfatória. Então pedimos que nos ajudem com a divulgação da importância da vacina — completou.

 

4ª dose

A vacinação no estado segue a todo vapor. O governo do Estado deve ampliar o público alvo da imunização para pessoas com 30 anos ou mais. Atualmente, populares acima de 50 estão sendo contemplados.

O anúncio foi feito pelo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, em entrevista à imprensa da capital. 

— É uma grande defesa dos secretários de saúde do Brasil inteiro, junto ao Ministério da Saúde, para que a gente amplie essa população acima de 30 anos. Temos algumas vacinas com chance até de vencimento no segundo semestre. A gente entende que tem que ampliar porque se sabe que, depois de quatro, seis meses, a imunidade cai da vacina — relatou à rádio Itatiaia.

A decisão deve ser tomada nos próximos dias.

— Então, estamos nessa articulação e há uma tendência, uma expectativa muito grande, que a gente amplie para o público acima de 30. A nossa expectativa é de que a decisão seja tomada ainda neste mês — acrescentou.

Comentários
×