Mais uma vez

Mais uma vez 

“Quem avisa amigo é”. O ditado, em outras palavras, define que quem avisa sobre determinada situação e as consequências que ela pode trazer, com certeza só quer o bem individual ou coletivo. Desde o início da pandemia da covid-19, o que não faltam são avisos e alertas de todo tipo. Em vídeo, foto, TV, rádio, impresso, folhetos, entrevistas maçantes, de todo e qualquer órgão público e até mesmo de alguns privados. Porém, apesar do constante esforço em alertar a população sobre os riscos que o coronavírus representa para a humanidade, parte do povo brasileiro insiste em acreditar e espalhar fake news, em simplesmente viver como se não existisse um vírus altamente mortal no mundo. 

Hoje, apesar dos constantes avisos e das campanhas, parte da população resolveu continuar ignorando tudo e viver como se ainda não estivéssemos em uma pandemia e o resultado veio: o país enfrenta a quarta onda da covid-19. Junto a isso, ainda há a baixa cobertura vacinal da segunda dose da vacina e das doses de reforço. Em mais uma tentativa de fazer com que a população se previna com o imunizante, para evitar a evolução da doença para quadros mais graves, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) realizará neste sábado, 2, mais um “Mutirão de Vacinação”. Sim! Mais um “mutirão”, mais uma tentativa, uma súplica à população para que se previna em meio ao aumento de casos confirmados e óbitos pela doença. 

O que mais chama a atenção nisso é o fato de que apesar de estar mais do que provado o perigo que o coronavírus representa para o ser humano e quais são os meios de prevenção contra o vírus, parte da população insiste em não se prevenir e, consequentemente, colocar outras pessoas em risco. Não é possível que as mais de 700 mortes registradas em Divinópolis tenham sido em vão. Que milhares contaminados com a doença e hoje lutam contra sequelas a covid-19 deixou não sejam a prova viva do quão perigoso é este vírus. Que todo aquele cenário de caos que a humanidade enfrentou em 2020 e 2021 não tenha servido para absolutamente nada. Não é possível que o povo ainda insista em acreditar em fake news do que em fatos científicos. 

Isso, sim, é estarrecedor. É desolador. Mostra o quão a humanidade tem retrocedido ao invés de evoluir. Quando exatamente o povo começou a ser tão burro? Quando exatamente a população preferiu entrar neste sistema de autodestruição? Com mais este “mutirão de vacinação”, mais uma onda da covid-19, a única certeza que se tem é que de fato não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças. A vida mudou, o mundo também e isso exige novas atitudes, adaptações e, claro, muita, muita responsabilidade com o individual e o coletivo. Hoje, a vacinação e a prevenção são a única saída para sobreviver ao “novo normal”. Quem avisa amigo é, e só sobrevive quem se adaptar, do contrário, infelizmente, um puxará o outro e tudo será perdido por causa da ignorância.

 

Comentários
×