Liquidações se espalham pela cidade

Diversos segmentos fazem promoções para zerar estoque

Jorge Guimarães

Passada as vendas de Natal, fim de ano e da Black Friday, 2022 começa com a temporada de liquidações. Tudo isso para zerar os possíveis estoques e também trocar de coleções, pois a moda outono/inverno já está a caminho, no caso das confecções. Já nas grandes redes de lojas, as promoções podem recair nos itens de mostruário, como eletrodomésticos, televisores e móveis, que ficam com os preços mais baixos. 

As liquidações costumam ser uma ótima oportunidade para o consumidor adquirir aquele item que tanto “namorou”, seja na vitrine ou nas prateleiras. Mas especialistas alertam que o consumidor tem que ficar atento quanto à política de trocas do fornecedor, pois ela pode causar muita dor de cabeça no futuro. É um momento oportuno para aqueles que já estão acostumados a comprar somente depois das festas de fim de ano.

— Geralmente, deixo para comprar itens bem específicos em janeiro, como sapatos, vestidos e outros acessórios — detalhou a dona de casa Elizabete Quiarine Pena. 

Ela prefere fazer isso porque diz encontrar preços mais atrativos e o comércio com menos movimento.  

 

Verão

A troca de estações também significa mudança de vitrine. Por isso, em várias lojas de confecções de tradicional shopping e também na região central, as liquidações chegam com até 50% de desconto no pagamento à vista e 40% a prazo. O objetivo é limpar o estoque que permanece nas prateleiras da moda primavera/verão, e abastecer o estoque para as próximas coleções. 

— Já com a coleção outono/inverno engatilhada estamos liquidando o verão em plena estação. Todo início do ano fazemos uma queima de estoque com descontos à vista ou no cartão — revela a vendedora Maria Alice Silva.

 

Reforço no caixa

Já pensando nas próximas estações, o empresário Dalmo Faleiro faz sua liquidação e estima incremento de 10 a 20% nos lucros. 

— Notamos que muitas pessoas não querem mais pagar preços tão altos e ficam esperando as promoções para gastar. Assim, com a liquidação, movimentamos nosso estoque e ganhamos um reforço a mais no caixa da empresa, visto que janeiro é um mês fraco para as vendas — avaliou.

Ainda segundo ele, a maior parte dos clientes prefere pagar à vista, o que incrementa o capital de giro.

 

Trocas

Muitas lojas não trocam itens de liquidação. É importante se informar das regras adotadas antes de comprar, em especial, presentes.

Mas, se o bem adquirido apresentar defeito, a empresa é obrigada a trocar, mesmo sendo compras em liquidações. Segundo a lei, o fornecedor tem até 30 dias para resolver a situação.

— Vale lembrar que, mesmo sendo produtos em promoções, os consumidores têm as mesmas garantias, já estabelecidas no Código de Defesa do Consumidor — diz o advogado Ulisses Damas Couto. 

 

Comentários
×