Levantamento mostra Divinópolis com índice de alto risco de dengue

Dados são de janeiro; Vigilância Ambiental afirma que houve melhora no cenário

 

Ariane Stéfanie

Divinópolis está entre as 233 cidades mineiras com alto risco de dengue, com o índice de Infestação Predial (IIP) em 8,8%. A informação é do primeiro Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa) de 2022, que monitora os dados acerca do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A pesquisa, realizada em janeiro, mostrou que qualquer município que apresente índice de infestação acima dos 4% é considerado em situação de alerta. 

Em janeiro deste ano, a Prefeitura divulgou que todas as seis regiões da cidade se encontram em alto risco de epidemia da dengue, sendo 13,6% na região Nordeste, seguida pela Norte com 10,5%, Central com 9,5% e Sudeste com 8,3%.

O último dado fornecido pela epidemiologia à Vigilância Ambiental mostrou que, atualmente, o município apresenta aproximadamente 60 casos notificados e 32 confirmados. O supervisor da vigilância, Juliano Cunha, afirmou que medidas já foram tomadas para evitar a proliferação.

— Os agentes de saúde vistoriaram os nove imóveis nos quarteirões em volta dos casos confirmados para eliminar o foco e foi aplicado o produto químico, que é o fumacê, em veículo afirmou.

 

Ações

Ainda de acordo com a Vigilância Ambiental, o Município esteve empenhado nos últimos meses em diminuir esse índice. 

[Fizemos] visitas domiciliares com orientação, medidas de prevenção e eliminação de focos, mutirões de limpeza em imóveis com grande quantidade de reservatórios, vedação de caixas d'água com tela, utilização de Fumacê (produto químico) nos locais com casos notificados da doença e vistorias quinzenais em locais considerados pontos estratégicos disse.

Ele ressaltou ainda que, apesar do alto índice, o controle é realizado e as ações vêm surtindo efeitos, o que indica que, provavelmente, os dados atuais do município são inferiores aos apresentados pelo LIRAa.

— O número de casos notificados da doença está dentro do esperado, não está muito exorbitante. Já está planejado para a primeira semana de maio um novo levantamento de índice, que provavelmente vai apresentar dados melhores que os de janeiro — relatou.

 

2021

De acordo com o Painel de Informações sobre a Dengue/Chikungunya, fornecido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), no ano passado, Divinópolis registrou 311 notificações e 93 casos confirmados de infecção pelo mosquito Aedes aegypti. 

Desse total, 91 foram de dengue, o que representa 97,85% dos confirmados, um de chikungunya e um caso de dengue com sinais de alarme, que representam 1,08% cada do percentual total. Ao todo, nove pessoas foram internadas e nenhum óbito foi registrado. 

O bairro com maior número de infectados foi o Jardinópolis, com 17 dos 93 casos, seguido do Campina Verde, com nove, e Belvedere, com oito diagnósticos positivos.


Prevenção

Para evitar que o Aedes aegypti se prolifere, algumas simples ações podem auxiliar no combate:

- mantenha todas as lixeiras tampadas;

- deixe o quintal sem lixo e entulhos, além de garrafas e baldes de cabeça para baixo;

- atente-se aos reservatórios de água do ar-condicionado, geladeira e umidificador que devem ficar secos e vazios;

- deixe ralos limpos e com aplicação de tela;

- não use pratinhos que acumulam água para vasos de planta;

- potes para água de animais devem ser limpos com bucha ou escova;

- mantenha limpos os ralos, canaletas e calhas;

- realize manutenção periódica de piscinas e caixas d’água;

- coloque plantas que acumulam água em local coberto;

- deixe lonas bem esticadas, evitando formação de poças d’água;

- não utilize garrafas pet com gotejador em plantas que tenham aberturas que o mosquito possa entrar para colocar ovos.

Comentários
×