Juntando os cacos

 

José Carlos de Oliveira

Faltando apenas seis rodadas para o término do Campeonato Brasileiro, Série A, a maior decepção continua sendo o Atlético. Um dos principais favoritos ao título no início do torneio passou a mero coadjuvante com o decorrer da competição. Agora, na reta final, o time tenta, nos jogos que lhe restam, a sua última cartada, a única que lhe restou para salvar a temporada: uma vaga na Copa Libertadores do próximo ano.

E olha que até isso pode ficar pelo caminho, o que seria um desastre para o ano em que o clube pretende inaugurar a sua moderna Arena.

Decepção

Em 7º lugar na classificação geral, 47 pontos somados, com apenas 12 vitórias em 32 partidas, os números do time treinado pelo técnico Cuca são para lá de decepcionantes, principalmente quando se leva em conta o custo benefício. Com um elenco formado a peso de ouro, o mínimo que se poderia esperar era brigar na ponta da tabela, da primeira à última rodada.

Salvar o ano

Mas já que não deu, o negócio é ainda acreditar. A esperança, principalmente para o lado dos dirigentes, é que em campo o time encontre meios para salvar o ano e, pelo menos, garanta o Galo na próxima Libertadores, se possível na fase de grupos. 

E motivos não faltam para terem esse pensamento, mas o que tem maior peso é mesmo a Libertadores, que seria a cereja do bolo no ano em que clube entregará à sua fiel torcida seu novo estádio.

Mineiro Feminino 

A primeira fase do Campeonato Mineiro Feminino 2022 chega ao fim sem nenhuma surpresa, com Cruzeiro e Atlético nas duas primeiras posições na tabela e ‘favoritaços’ nas duas semifinais, frente Uberlândia e América, respectivamente.

Os duelos das semifinais, em jogos de ida e volta, devem acontecer nos dias 29 de outubro e 6 de novembro, dois sábados, mas isso ainda depende de confirmação por parte da Federação Mineira de Futebol (FMF).

Troco celeste

Depois de perder as duas últimas finais para o Galo, as Cabulosas esperam dar o troco este ano e o primeiro passo conseguiram no fim de semana, ao golear as Vingadoras (3 a 0) no clássico, terminando a primeira fase com a melhor campanha. 

 

Meninas do Cruzeiro levam a melhor no clássico

A Raposa entra para a história – vão se passar anos e mesmo décadas e será impossível, em todos os esportes, aparecer um time que seja capaz de superar aquilo que vem fazendo a equipe de vôlei masculino do Cruzeiro, que já não sabe onde colocar todas as taças que conquista. No fim de semana, na final do estadual, mais um show do time celeste, com vitória por 3 sets a 0 sobre o Minas Tênis Clube, no seu 13º título do Mineiro, de forma consecutiva. 

Pedir mais do que isso já seria demais.

Comentários
×