Itaúna confirma três primeiros casos da variante Ômicron

Segundo Prefeitura, pacientes estão bem e não necessitam de internação

 

Da Redação

A Superintendência Regional Oeste de Saúde de Minas confirmou ontem os três primeiros testes positivos em Itaúna pela variante Ômicron da covid-19. Em nota, a Prefeitura informou que as pacientes são três mulheres, de 27, 35 e 42 anos de idade.

— Em todos os casos as mulheres se encontram bem, sem necessidade de internação hospitalar — detalhou.

 

O Executivo local também citou que o momento é de “atenção, sem pânico”. O comunicado reforça, ainda, a importância dos cuidados básicos de prevenção à doença e do esquema vacinal completo.

— Estudos em todo o mundo estão pintando um quadro consistente de que a ômicron é menos agressiva do que a variante delta, com uma chance até 70% menor de pessoas infectadas acabarem no hospital — explica.

 

Em coletiva realizada ontem, 28, o secretário estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Fábio Baccheretti, destacou que as evidências apontam que a ômicron é mais contagiosa, mas provoca casos menos graves. 

— Ela tem uma lesão pulmonar menor do que as outras variantes, apesar de ter uma carga viral na mucosa oral nasofaringe maior. Ou seja, ela é mais infectante, mas causa menos doença pulmonar. Geralmente, as doenças pulmonares e de coagulopatias, que são as maiores causas de óbito da doença — afirmou.

 

Comentários
×