Internações por covid-19 crescem 36% em seis dias

Mais de 180 novos casos foram confirmados no período; imunizados com Janssen também recebem duas doses de reforço

 

 

Bruno Bueno

O número de internações por covid-19 não para de subir em Divinópolis. Um levantamento feito pela reportagem com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) mostra que as ocorrências cresceram 36% nos últimos seis dias. No último dia 13, o município tinha 25 internados. Até a tarde de ontem, o número já era de 39.

Os registros também apontam a ocorrência de 189 novos casos de coronavírus no período analisado. 

 

Comparativo

A reportagem analisou os boletins epidemiológicos do dia 13 a 21 de junho. Na última semana, a cidade tinha 162.833 casos notificados. Hoje, o número é de 162.336. Ao Agora, a Prefeitura atribuiu a atípica queda nos indicativos a correções no sistema da Semusa.

Neste período, 189 novos casos foram confirmados. Já são 37.557 ocorrências, sendo 16.701 em homens e 20.856 em mulheres. O número de casos descartados se manteve o mesmo nos dois períodos analisados: 5.416. Ainda conforme os números, 247 casos de recuperação foram contabilizados no período.

Uma nova morte foi registrada no período. O município agora tem 711 óbitos pela doença, sendo 379 em homens e 334 em mulheres.

 

Ocupação de leitos

A ocupação de leitos também foi divulgada pela Semusa. Na enfermaria, a taxa registra 35,52%, com 26 vagas preenchidas nos 73 totais. No setor de CTI, por sua vez, a ocupação é de 28,26%, com 13 leitos dos 46 disponíveis.  Na última semana, as ocupações de enfermaria e CTI registraram 21,92% e 19,57% respectivamente. À época, 25 internações foram contabilizadas, sendo 9 no CTI e 16 na enfermaria.

Os dados da pasta apontam um crescimento considerável dos indicativos. No dia 6 de junho, 19 internações foram registradas. Uma semana depois, no dia 13, o número já era de 25. Agora, até ontem 21, os números da pasta marcam 39 internações.

 

Hospitais

O Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) tem um paciente internado no CTI adulto da área suplementar, além de cinco casos no CTI adulto e dois no CTI infantil da área atendida pelo SUS.

O Hospital Santa Lúcia, localizado na avenida JK, contabiliza uma internação no setor de UTI. O Santa Mônica, por sua vez, tem dois casos no CTI adulto e um no infantil. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) tem uma pessoa internada no CTI adulto.

Em relação aos casos do setor de enfermaria, o CSSJD tem quatro registros na área suplementar. Outros seis casos foram contabilizados na enfermaria da área atendida pelo SUS, sendo quatro no setor adulto e dois na ala infantil. 

O Hospital São Judas Tadeu tem duas pessoas internadas. Já o Santa Mônica tem nove registros, sendo oito na ala adulta e um no setor infantil. O Santa Lúcia tem apenas um registro. A UPA contabiliza duas internações por covid-19 no setor de enfermaria.

 

Vacinação

A imunização é peça fundamental para impedir internações por covid-19. O município iniciou ontem mais uma etapa da vacinação contra a covid-19. Desta vez, pessoas com 40 anos ou mais podem receber a 4ª dose da imunização. Os interessados precisam respeitar um intervalo mínimo de 120 dias do recebimento da 3ª. 

O segundo reforço, como também é conhecido, pode ser feito com Pfizer, AstraZeneca ou Janssen. O avanço foi possível graças ao envio de uma Nota Técnica do Ministério da Saúde (MS) nesta semana.

A imunização acontece em todos os postos de saúde de Divinópolis, das 8h às 16h. Nas unidades dos bairros Belvedere, Planalto, Sagrada Família, Tietê e Ermida,das 18h às 21h30. Não é necessário agendamento prévio. No ato da imunização, os interessados devem  apresentar documento de identificação com foto, CPF e cartão de vacinas.

 

Janssen

A aplicação da segunda dose de reforço gera dúvidas em parte da população que recebeu o imunizante da Janssen. A vacina, diferente das demais de dupla aplicação, é de dose única. Autoridades da saúde anunciaram a necessidade de aplicação da dose de reforço após dois meses da primeira aplicação.

Contudo, uma nota publicada pelo Ministério da Saúde (MS) na tarde de ontem também mostra a necessidade da aplicação de uma segunda dose de reforço para o grupo.

— Para quem se vacinou com a Janssen, o Ministério da Saúde lembra que são recomendadas doses de reforço, no seguinte esquema: dose única inicial + dose de reforço + segunda dose de reforço (que vale para o público prioritário acima de 50 anos) — explica.

A segunda dose de reforço deve ser aplicada 120 dias após a primeira. No total, os imunizados devem ser contemplados com três doses (1ª, reforço I e reforço II). 

— As recomendações do Ministério da Saúde foram feitas a partir de estudos que demonstram que a imunogenicidade após aplicação de doses de reforço heterólogas, com combinação diferente de vacinas contra a covid-19, foi adequada e superior a esquemas sem doses de reforço — completa.

Até o momento, 443 milhões de doses foram aplicadas na população brasileira. Dessas, 22 milhões são da Janssen. Cerca de 164 milhões de pessoas (77% do total) estão com o esquema vacinal primário completo. 

 

Comentários
×