Internações por covid-19 crescem 316% em 13 dias

201 novos casos foram contabilizados no período; apesar do aumento, situação de Divinópolis ainda não preocupa

 

Bruno Bueno

Após meses de estabilidade, Divinópolis volta a registrar aumento no número de internações por covid. Os dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), divulgados na tarde de ontem, mostram que a cidade tem 19 pessoas internadas em leitos de CTI e enfermaria para coronavírus. 

O número é 316% maior do que o registrado duas semanas antes, dia 24 de maio, quando o município contabilizou seis casos. No entanto, o panorama da cidade ainda não preocupa devido à grande quantidade de leitos disponíveis.

 

Média diária

Os registros da Semusa mostram o aumento dos casos de internações nos últimos dias. 

 

  • 24, 25 e 26/05 - seis casos;
  • 27, 28 e 29/05 - oito casos;
  • 30/05 - doze casos;
  • 31/05 - treze casos;
  • 01/06 - onze casos;
  • 02/06 - quatorze casos;
  • 03, 04 e 05/06 - quinze casos;
  • 06/06 - dezenove casos.

 

A cidade tem média diária de três internações no setor de CTI nas últimas duas semanas. Os picos foram registrados no dia 6 de junho, com cinco casos, e no dia 31 de maio, com seis. O setor de enfermaria, por sua vez, tem média de oito casos por dia. O pico foi registrado ontem, com 14 casos.

 

Casos confirmados e notificados

A reportagem fez um comparativo dos boletins epidemiológicos divulgados pela Semusa nos dias 24 de maio e 6 de junho. Duas semanas atrás, Divinópolis tinha 36.959 casos da doença. Agora, são 37.160. Sendo assim, 201 novos casos foram contabilizados num período de 13 dias.

Atualmente, são 16.570 casos registrados em homens e 20.590 em mulheres. Duas semanas atrás, o município contabilizou 159.169 casos notificados de coronavírus. Agora, são 157.991, o que representa 1.178 notificações recentes. O número de óbitos, em contrapartida, se mantém o mesmo: 709 nos dois períodos analisados.

 

Casos descartados e internações 

O número de casos descartados também cresceu. Duas semanas atrás eram 5.371 e agora são 5.416. 160 novos registros de recuperação foram contabilizados pela Semusa durante o período analisado.

A ocupação dos leitos de enfermaria era de 7,04% no dia 24 de maio. Agora, duas semanas depois, contabiliza 19,72%. No setor de UTI, o crescimento foi de 2,44% para 12,20%. O número de internados passou de 6 para 19. 

 

Estabilidade nos hospitais

Apesar do aumento do número de casos, a situação do município ainda não preocupa devido à quantidade de leitos. No setor de UTI, por exemplo, são cinco internados e 41 vagas disponíveis. Na enfermaria são 14 leitos ocupados entre os 71 totais.

A situação dos hospitais também foi divulgada pela Semusa. O Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) tem cinco leitos de enfermaria ocupados, sendo um na enfermaria infantil e dois na adulta pelo SUS, além de dois na enfermaria adulta da área suplementar. No Hospital Santa Mônica, foram registrados quatro leitos ocupados na enfermaria adulta e quatro na enfermaria infantil. Há também um registro na enfermaria adulta do Hospital São Judas Tadeu.

O CSSJD tem três leitos ocupados no setor de CTI, sendo dois na área infantil e outro no setor adulto atendido pelo SUS. O Santa Mônica tem dois leitos ocupados: um no setor infantil e outro no adulto.

 

Vacina

Em paralelo ao aumento nos casos, a Prefeitura anunciou a ampliação da segunda dose de reforço para profissionais da saúde e pessoas com 50 anos ou mais.

— Para receber essa imunização é obrigatório o intervalo mínimo de 120 dias do recebimento da primeira dose de reforço. O segundo reforço poderá ser feito com Pfizer, Astrazeneca ou Janssen — pontua.

A vacinação acontece em todos os postos de saúde e unidades das Estratégias de Saúde da Família (ESF) de Divinópolis, das 8h às 16h. Nas unidades que atendem o programa “Saúde na Hora”, a vacinação acontece das 18h às 21h30. As unidades que fazem a vacinação noturna são Belvedere, Planalto, Sagrada Família, Tietê e Ermida.

 

País

O aumento também é notado em outras metrópoles do país, especialmente em Santa Catarina. Na última sexta, o estado decretou situação de emergência na saúde devido à superlotação dos hospitais e sobrecarga nos postos de atendimento médico. Os registros também contabilizam outras doenças respiratórias, como variações da gripe.

Segundo a última atualização, 97,7% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estavam ocupados no estado neste fim de semana. Em três regiões do estado (Foz do Rio Itajaí, Meio Oeste e Serra Catarinense e Grande Oeste), a ocupação chega a 100% e há pacientes na lista de espera.

A situação de emergência foi publicada em edição extra do Diário Oficial do Estado e tem validade de 90 dias. A condição de emergência permite trazer mais agilidade à compra de equipamentos, contratação de pessoal e abertura de leitos de UTI e de retaguarda. A medida também facilita a contratação de leitos pediátricos na rede privada e a articulação de apoio aos municípios.

 

Mutirão 

Para regularizar a situação das pessoas com doses em atraso, a Prefeitura de Divinópolis realiza, no próximo sábado, 11, um mutirão de vacinação.

— Esse chamamento público será para a vacinação contra a covid-19 - infantil e adulto - de quem ainda não iniciou o esquema primário dose 1 e dose 2, e também para quem está apto a tomar o reforço 1 ou 2, ou seja, quem já tomou o esquema primário há pelo 4 meses — explica a Prefeitura.

Vacinas como influenza e triviral também podem ser aplicadas nos públicos prioritários.  As unidades que vão participar do mutirão são: Afonso Pena, Belvedere, Bom Pastor, Central, Ermida, Icaraí, Ipiranga, Nossa Senhora das Graças, Nações, Niterói, São José e Tietê. Neste dia, a vacinação acontecerá das 8h às 16h.

Comentários
×