Inspiração e força

Inspiração e força 

Um dos primórdios mais bonitos que a sociedade tem é a possibilidade de evoluir. Sim, possibilidade, afinal, evolui quem quer, quem não se importa permanece no mesmo lugar, andando em círculos. Dentro dessas possibilidades, talvez uma das mais bonitas, que se concretizou ao longo dos anos, foi o lugar da mulher na sociedade. Antes vistas apenas como objetos, reprodutoras e colocadas em um lugar de completa submissão, as mulheres não tinham voz, não tinham espaço. Hoje, apesar de a luta não ter acabado, elas ganham cada vez mais lugar no mundo, em todos os segmentos. Contrariando os machistas de plantão, estão em plena ascensão. 

E Divinópolis começa a dar exemplo. Na última semana foi lançada a chapa única à presidência da OAB/Subseção Divinópolis, com duas mulheres: encabeçada por Ellen Lima, que tem como vice, Andréa Borges. Ellen já fez história em 2019, ao compor a chapa que tinha à frente Manoel Brandão e ser eleita a primeira vice-presidente da Subseção. E o que dá a outras mulheres mais coragem ainda é que, além da advogada, outras ocupam lugares de destaque na cidade. Lohanna França (CDN) foi eleita no ano passado com mais de cinco mil votos e se tornou a vereadora mais jovem a ocupar uma cadeira na Câmara e detentora da maior quantidade de votos na história do Legislativo. Ana Paula Freitas (PSC) também foi eleita e, junto com Lohanna, mostra que as mulheres têm, sim, competência e podem fazer a diferença no Legislativo, como outras anteriores fizeram. As vereadoras seguem o legado de força e resistência, e dão voz àquelas que foram caladas durante séculos. 

Janete Aparecida (PSC), hoje vice-prefeita de Divinópolis, eleita vereadora em 2016,  foi a única mulher a ocupar uma cadeira na legislatura passada. Não poderia faltar Ivone Guimarães, pioneira na Câmara e, que com certeza, inspirou as que viriam depois, como Eliana Piola, Dorzinha e Heloísa Cerri. Se juntando a todas essas mulheres que são inspiração, Divinópolis tem Laiz Soares. A jovem disputou a Prefeitura nas eleições passadas e teve uma votação expressiva. Laiz saiu do “zero” e recebeu mais de 21 mil votos, ficando em terceiro lugar na disputa. Hoje, a economista é voz ativa em Divinópolis e faz cobranças pertinentes tanto ao Poder Executivo, quanto ao Legislativo. E, assim, Janete, Lohanna, Ana Paula, Ellen, Andréa e Laiz se juntam às tantas outras mulheres da cidade e mostram que nada pode limitar ou definir uma mulher. De dona de casa a vice-prefeita, absolutamente todas hoje podem fazer e ser o que quiserem, e não há sociedade, não existe machista capaz de pará-las.

A beleza da democracia, da pluralidade, da evolução está justamente aí, no caminho entre as possibilidades e as realizações; entre o querer e o poder. A ascensão das mulheres começou há um tempo, e esse processo faz parte da evolução da humanidade. Que a cada dia mais mulheres façam história, sejam divisoras de água e se tornem inspiração de força e resistência para quem está “chegando agora”. Afinal, já dizia Simone de Beauvoir: “Que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância, já que viver é ser livre”. E que a sociedade aproveite intensamente todas as possibilidades de evolução, não deixando nenhuma escapar. Afinal, para mudar basta querer. 

Comentários
×