Indústria puxa emprego com carteira assinada em Divinópolis

Foram criadas, nos cinco primeiros meses do ano, 1.251 oportunidades formais

 

Pablo Santos

O saldo positivo do emprego em Divinópolis avançou. Nos cinco primeiros meses de 2022, o volume de vagas com carteira assinada cresceu no comparativo com os mesmos meses de 2021. O Município apresentou alta pelo quarto mês seguido com destaque para a indústria. Os números foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 

Conforme os dados, foram criadas, nos primeiros cinco meses do ano, 1.251 oportunidades formais de emprego na cidade. No mesmo período do ano passado, foram abertas 1.056, ou seja, quando comparado os dois períodos, o volume é 18% maior neste ano. 

No mês passado, as empresas divinopolitanas abriram 369 vagas. Com o desempenho de maio, a cidade completa quatro meses seguidos com saldo positivo, apontou os números do Caged. Neste ano, somente janeiro apresentou corte de vagas: 222.

Indústria

Das 369 vagas criadas em maio no município, a indústria foi destaque com 145 oportunidades abertas. 

A presidente da Associação Comercial Industrial, Agropecuária e Serviços de Divinópolis (Acid), Alexandra Galvão, acredita que uma série de fatores contribui para o bom desempenho da indústria. 

— Nossa indústria cresceu e com sua valorização, inovação e capacitação de trabalhadores. Esse conjunto contribui para o resultado. A indústria está se fortalecendo para atender a demanda do varejo crescente — destacou. 

O comércio divinopolitano também teve destaque. Foram abertas 122 vagas no setor e os serviços outras 78 oportunidades. A construção gerou outras 16 e o agronegócio mais oito.

Minas

Em Minas Gerais, o saldo do emprego também permaneceu positivo No quinto mês de 2022, foram registradas 29,97 mil vagas de trabalho criadas, indicando o quarto resultado positivo consecutivo, após corte de 1,2 mil empregos em janeiro. 

O setor de serviços foi destaque. Ao todo foram contratados 217.499 profissionais e demitidos 187.529 em maio. Com o desempenho, Minas apresentou o segundo maior saldo do Brasil, que somou 277 mil postos de trabalho no mês passado. À frente esteve apenas São Paulo, com resultado de 85,6 mil vagas formais criadas com carteira assinada. 

 

Comentários
×