Implac√°vel

Chuvas, enchentes, dengue, ondas da covid-19, óbitos, aumento nas internações… Tragédia atrás de tragédia. Todos abismados, incrédulos. Aquela velha frase “não acredito que isso aconteceu” ou “isso seria totalmente evitável” ecoa pelas rodas de conversas. O fim do ano chegou expondo velhos problemas e vulnerabilidades cotidianas. O período de chuva está entre nós e, com isso, também as enchentes, alagamentos, deslizamentos de terra. Logo após as chuvas vem a dengue. Os casos confirmados e graves explodem no país. Os hospitais ficam lotados. Agora, mais uma vez, o brasileiro observa o aumento do número de casos da covid-19. A situação já levou algumas cidades do Centro-Oeste, como Itaúna e Carmo da Mata, a retomarem a obrigatoriedade do uso de máscara facial nas repartições públicas e estabelecimentos de saúde. Resumindo, um ciclo sem fim. E tudo isso causado por um único motivo: a ação do homem. 

A terceira lei de Newton, conhecida como a Lei da Ação e Reação, afirma que, para toda força de ação que é aplicada a um corpo, surge uma força de reação em um corpo diferente. Isso pode ser facilmente aplicado ao dia a dia. Se jogar lixo nas ruas e construir em encostas trazem consequências graves no período chuvoso, então por que continuam fazendo isso? Se está mais do que explicado que é de extrema importância não deixar água parada em casa, por qual razão a dengue segue como preocupação? Se a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda reforça a importância das medidas simples e amplamente conhecidas de prevenção à covid-19, por que deixaram tudo de lado, sabendo as consequências que isso traz para o coletivo? Por que é tão difícil fazer o certo? Por que é tão difícil ter responsabilidade? Por que é tão difícil ter consciência coletiva? Perguntas simples que seguem anos a fio – e seguirão – sem resposta. A Lei de Ação e Reação é implacável, não fica um sem ser afetado. Em alguns casos, inocentes pagam pelos pecadores.

Muitos acreditam que o Brasil é um país de terceiro mundo. Estão enganados: o Brasil é um país em desenvolvimento. E como continuar o progresso diante tantos retrocessos? Como acreditar em evolução, quando a sociedade anda em círculos? Como acreditar que as coisas vão melhorar? Hoje, dia 6 de dezembro de 2022, já é possível fechar os olhos e, sem muita dificuldade, prever o que virá pela frente. Hospitais lotados, aumento dos casos casos de dengue e covid-19, enchentes, alagamentos... E não, não é preciso ser pessimista para dizer isso, basta encarar a realidade que é apresentada dia a dia no país. 

A irresponsabilidade diária segue, esquecendo-se que a Lei da Ação e Reação. Para construir um futuro melhor, basta uma coisa: agir. Ser a mudança que tanto quer ver no mundo.

 

Coment√°rios
×