Homem que manteve filhos reféns é autuado

Ocorrência teve desfecho ontem de manhã e precisou de apoio do Bope; desavença na família começou domingo

Da Redação 

O pai que manteve dois filhos reféns no bairro Jardim Candidés, em Divinópolis, já está no presídio. Ele foi autuado após ser ouvido na manhã desta segunda-feira,  na delegacia da Polícia Civil, e vai responder pelo crime de ameaça. A prisão é preventiva e ele está no Floramar. Os próximos passos ficam a cargo da Justiça.

Ele aceitou sair da casa onde mora com a esposa e os filhos, já pela manhã, depois de horas de negociação, antes, havia liberado as crianças na madrugada.

 

A ocorrência 

A ocorrência começou na noite de domingo, por volta de 20h, quando policiais militares do 23º BPM, com apoio de equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Belo Horizonte, foram à residência.  No imóvel, um homem de 32 anos havia expulsado de casa sua esposa de 31 anos e feito seus dois filhos, de 11 meses e de 2 anos, reféns. 

A esposa relatou aos militares que eles haviam chegado de uma festa e, por um desentendimento, o homem ficou agressivo e a expulsou de casa, fazendo dos  filhos de reféns, ameaçando matá-los, caso os policiais entrassem na casa. Por se tratar de uma operação de risco, foram acionadas equipes do Bope para comandar as negociações. 

 

Filhos libertados 

O Corpo de Bombeiros e uma equipe médica do Samu também foram chamados e ficaram de prontidão, para um possível atendimento. Após intensas negociações, o homem aceitou liberar os filhos, por volta das 4h. Segundo a PM, as crianças estavam sob ameaças de uma faca. Porém, ele continuou na casa e se banhou com álcool, ameaçando atear fogo ao próprio corpo.

 

Se entregou 

A equipe do Bope intensificou as táticas de negociação, após a saída dos filhos,  e o autor acabou se entregando, sem nenhum ferimento. Ele foi encaminhado para atendimento médico e, posteriormente, à delegacia. Mãe e filhos não apresentaram nenhum tipo de lesão e estão em segurança. 

Ao todo foram empregados 32 policiais militares na ocorrência.

 

Comentários
×