Guarani cai para a Segunda Divisão

Alvirrubro é goleado em julgamento no STJD e tem rebaixamento para a “terceirona” confirmado

 

 

José Carlos de Oliveira

O Guarani terá mesmo que disputar a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro de profissionais, promovido pela FMF, nesta temporada. Em julgamento no início da tarde de ontem na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro, o Alvirrubro teve a punição imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) mineiro confirmada pelos auditores do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e teve seu rebaixamento ratificado pela instância superior do futebol brasileiro. 

O resultado do julgamento ficou em 8 a 0 contra o Bugre divinopolitano, com o Guarani caindo para a Segunda Divisão, na realidade a “terceirona” do futebol mineiro. Agora resta à diretoria bugrina arrumar a casa e tentar, em campo, buscar seu retorno às divisões principais do futebol profissional de Minas Gerais. 

 

Entenda o caso

A novela toda começou ainda no ano passado, com a notícia de infração entregue pelo Sport Club Aymorés, de Ubá, ao TJD-MG, acusando o Guarani de supostamente ter infringido a lei quanto ao limite máximo de 30 inscrições para a disputa do Módulo II em 2021, como previa o regulamento da competição. De acordo com o Departamento Jurídico do time de Ubá, o Guarani havia inscrito 27 atletas após nove rodadas disputadas e regularizou mais quatro jogadores para os dois últimos jogos do torneio.

Enzo Dieter Aquino (meia), Breno Nunes Araújo (meia), Luccas Vinicius de Almeida (zagueiro) e Thiago Henrique de Sousa Costa (meia) foram, de acordo com o time de Ubá, os atletas que fizeram com que o limite de jogadores inscritos fosse estourado.

Assim, a Procuradoria do TJD ofereceu denúncia, baseada no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata sobre a escalação irregular de atletas.

No dia 22 de novembro, o caso foi julgado, e o Guarani punido com a perda de três pontos na tabela de classificação, mais multa, o que deixou o time momentaneamente rebaixado à Segunda Divisão do Mineiro.

O Bugre entrou com recurso no pleno do próprio TJD mineiro. Depois que um dos auditores pediu vistas do processo, o julgamento foi interrompido quando acontecia um empate em 1 a 1. Mas, na continuidade do processo, no início deste ano, o Bugre acabou derrotado por 6 votos a 1 (apenas o relator votou a favor do Alvirrubro), com o Bugre sendo rebaixado para a Segunda Divisão nesta temporada. 

No início da tarde de ontem o resultado foi ratificado em julgamento virtual do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, e o Guarani terá mesmo que disputar a Segunda Divisão em 2022. 

 

Futuro incerto

Com o rebaixamento à “terceirona” confirmado, mais dúvidas pairam agora sobre a cabeça dos torcedores alvirrubros. Eles esperam agora pela palavra oficial da diretoria para saber se o clube vai participar da Segunda Divisão este ano, ou vai encerrar (mesmo que temporariamente) o seu departamento de futebol profissional.

Segundo o pensamento de alguns dos diretores que hoje estão à frente do clube, o pensamento geral é de seguir em frente, arrumar a casa e armar um time forte para, em campo, recolocar o Bugre no lugar que é seu por direito, nas divisões principais do futebol estadual.

Com a Segunda Divisão do Mineiro prevista apenas para o segundo semestre, entre os dias 13 de agosto e 26 de novembro, a diretoria do Guarani ganha um tempo para pensar na melhor alternativa para o futuro do futebol profissional do clube. 

 

Comentários
×