Gastos com gabinetes chegam a quase R$ 450 em janeiro

Sete vereadores não utilizaram dinheiro público no período; reunião da Câmara tem três projetos de lei em pauta

Bruno Bueno

Os gastos dos vereadores da Câmara de Divinópolis (CMD) com seus gabinetes chegaram a quase R$ 450 no mês de janeiro. Os dados, divulgados pelo próprio Legislativo e obtidos pelo Agora na tarde de ontem, mostram que sete vereadores não utilizaram dinheiro público no período. 

A quantia exata é de R$ 436,96. Conforme levantamento do Agora realizado no ano passado, a média de gastos mensais com gabinetes foi de aproximadamente R$ 1.500.

 

Econômicos

Sete vereadores não utilizaram verba pública em seus gabinetes no mês de janeiro. Diego Espino (PSL), que liderou os gastos na Câmara em 2021, especialmente com viagens a Brasília em busca de recursos para o Município, é um deles. Roger Viegas (Republicanos), vereador mais econômico do Legislativo, continua sem utilizar verba de gabinete.

Acompanham a lista dos que não gastaram em janeiro: Josafá Anderson e Lohanna França, do CDN; Ana Paula do Quintino (PSC), Hilton de Aguiar (MDB) e Ney Burguer (PSB). O último se destacou no ano passado como o 2º parlamentar mais econômico do ano.

Outros parlamentares se destacam pela economia. Os citados gastaram menos que R$ 3 durante o período analisado. A única verba pública utilizada pelos políticos são os telefones do Legislativo. São eles: Ademir Silva e Edsom Sousa, do MDB, com R$ 1,16 e R$ 2,12 respectivamente; Eduardo Print Júnior (PSDB), com R$ 0,88 e Rodrigo Kaboja (PSD), com R$ 1,73. 

 

Restante

O ranking de vereadores que utilizaram a maior quantidade verba pública no mês de janeiro é liderado por Israel da Farmácia (PDT). O parlamentar, que está em seu primeiro mandato, gastou R$ 162,04. Além do consumo com telefone, o gabinete comprou um cartucho de impressora e quatro pacotes de papel A4.

A lista segue com Flávio Marra (Patriota). O defensor da causa animal gastou R$ 79,98 em janeiro. Os dados da Câmara mostram que ele comprou dois pacotes de copos descartáveis, dois pacotes de papel A4, duas canetas marca texto e um cartucho de impressora. Eduardo Azevedo (PSC) utilizou R$ 65,87 na compra de três canetas azuis, dois pacotes de copos descartáveis, um pacote de papel A4 e um cartucho de impressora.

Zé Braz (PV) é o quinto do ranking com R$  48,23. Os gastos registrados mostram a compra de quatro blocos, uma borracha, 18 canetas, dois pacotes de copos descartáveis, uma fita adesiva para embalagem, um pacote de papel A4 e dois extratores de grampos. Rodyson do Zé Milton  (PV), que gastou R$ 40,72 com recursos de telefone e um cartucho de impressora, e Wesley Jarbas (Republicanos), com R$ 34,23 gastos em telefonia e um pacote de papel A4, fecham a lista.

 

Quais são os gastos?

Os gastos dos gabinetes são divididos em quatro pontos e relatados mensalmente para o sistema da Câmara de Divinópolis. O primeiro diz respeito a materiais de consumo, como produtos de escritório, cartuchos para impressora, papéis timbrados, canetas, marca-textos etc.

Postagens, como selos e materiais impressos, também entram na lista. O custo de telefonia fixa, que varia para cada vereador dependendo do consumo, diárias em hotéis e viagens para outras cidades também fazem parte dos custos. Vale ressaltar que o vereador pode  utilizar do seu próprio dinheiro para comprar os produtos.

 

Como verificar?

Os gastos de cada gabinete estão disponíveis na Câmara de Divinópolis. Para ter acesso, basta entrar no site oficial da CMD (www.divinopolis.mg.leg.br) e, na aba lateral esquerda, clicar na opção “Gastos com Gabinetes”. Depois, é só selecionar o ano, vereador e o mês que deseja visualizar.

Os números são atualizados mensalmente pelos servidores do Legislativo.

 

Reunião

Preparados pelos seus gabinetes, os vereadores se reúnem nesta quinta para a 8ª Reunião Ordinária do ano. Três projetos de lei estão em pauta. Antes da apreciação, Regina Maria Bento usará a Tribuna Livre para falar sobre o aniversário Ação Renovadora ONG Ambientalista.

O primeiro projeto de lei é o CM 128/2021, que dispõe sobre a autorização de doação dos produtos apreendidos que especifica a instituições filantrópicas e de caridade em Divinópolis. A matéria é assinada pelo vereador Hilton de Aguiar (MDB) e tem quórum para votação de maioria simples. 

 

Outros projetos

O segundo projeto é o CM-154/2021, de autoria do vereador Edsom Sousa (CDN). A pauta dispõe sobre a competência das condições de segurança das passagens de nível instaladas ou a serem instaladas em Divinópolis. A matéria, segundo o Legislativo, tem como objetivo legitimar a responsabilidade sobre as passagens de nível na cidade. 

— Como as passagens de nível estão legalmente sob a operação da concessionária de serviço de transporte ferroviário, é equitativo que seja a responsável pela manutenção das condições de segurança, abrangendo sinalização visual, sonora e o material humano necessário ao controle e retenção do tráfego — informou a Câmara em nota.

Por fim, os parlamentares devem votar a matéria CM 234/2021, de autoria do vereador Flávio Marra (Patriota). A proposição declara a Associação Terra de Deus como de utilidade pública.

— A Associação Terra de Deus é responsável pela conclusão da obra da Terceira Cruz de Todos os Povos em nosso Município, além de promover a união entre várias correntes de pensamentos, incentivar a colaboração entre as pessoas, estimular a pesquisa espiritual e a caridade, desenvolver a ética em todas as atividades sociais — enfatizou o Legislativo.

 

Comentários
×