Flávia Simão lança o single 'Cura'

Canção faz parte do projeto “Íntimo”, primeiro trabalho autoral da cantora

 

Da Redação

A cantora e compositora mineira Flávia Simão reembarca de corpo e alma no cenário musical e apresenta “Cura”, seu primeiro single autoral em parceria com Marcelinho Guerra. O lançamento será no próximo dia 29 e é um dos três singles e videoclipes a serem apresentados e que fazem parte do álbum “Íntimo”, projeto viabilizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (Leic) de Minas Gerais.

Flávia explica que a música carrega sua “afinidade com Oxum” como forma de referência ao que a artista viveu no trabalho como dançarina no grupo “Sarandeiros”, de Belo Horizonte, representando a orixá nas apresentações do espetáculo “Quebranto”, e que marca esse início de uma nova trajetória, com seu primeiro trabalho autoral.

 

Single

A cantora define o novo single e, consequentemente, o projeto “Íntimo” como uma transição das experiências anteriores para uma sonoridade mais contemporânea, madura e que expõe a intimidade particular de experiências da artista, com abrangências do universo feminino. Ao falar sobre o resultado de “Cura”, Flávia define com se fosse uma oração, um mantra a Oxum, uma ponte entre o passado, da sonoridade dos pontos que cantava em rodas de samba, e o futuro que almeja atualmente para sua música, com essa sonoridade de uma MPB mais moderna.

— É um pedido de força e proteção para superar as barreiras nessa busca constante de ser uma mulher renovada, empoderada, que carrega as vivências do que fui e que, ao mesmo tempo, traz uma certa autonomia, com força e fé para traçar um novo caminho com amadurecimento e repleto de bençãos — avalia.

 

Álbum

O álbum traz as referências de estéticas musicais que a cantora vivenciou em sua carreira, principalmente dentro do samba, samba rock, rock, indie e eletrônico e de outros estilos da MPB, e conta com parcerias musicais em canções autorais.

O trabalho inédito da artista busca a exteriorização de anseios, inquietações e questões íntimas do universo feminino e particular da cantora numa expressão forte de amadurecimento, particular e moderna, com traços das raízes culturais, políticas, sociais e religiosas.

— É uma história repaginada de referências do samba, do rock e de tudo que vivi, e que aborda temáticas, por exemplo, das limitações impostas pelo machismo e pela sociedade patriarcal que sufoca as mulheres. Esse trabalho é um grito de esperança e luta para algo novo, sagrado e de liberdade — exalta a cantora sobre o resultado do projeto.

 

Ficha técnica

O disco foi produzido nos estúdios Stereotono, capitaneado por Marcelinho Guerra, que já trabalhou com grandes nomes da música brasileira, como Samuel Rosa, Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Rogério Flausino, Otto e Toninho Horta.

A produção do audiovisual do projeto é de Rhodes Madureira, profissional de renome no cenário mineiro e no eixo Rio-São Paulo. O produtor foi um dos indicados como melhor diretor de videoclipes pelo Prêmio Profissionais da Música 2020.

Para as composições, Flávia Simão contou com canções de sua própria autoria em parcerias musicais de compositores como Marcílio Rosa, Marcelinho Guerra, Frederico Heliodoro, Luís Almeida, Marcus Abjaud, Fred Selva, Felipe Continentino, Daniel Guedes, além de canções de Leandro Medina e Matheus Fillippi.

O disco possui oito faixas e os lançamentos serão pelas plataformas digitais em três singles e posteriormente como álbum, e também em videoclipes lançados quinzenalmente após os singles.

O projeto também contará com lançamento físico em Divinópolis para o público local em geral em formato de show, com a participação dos músicos do álbum, além de convidados especiais.

 

Músicos

Para o single e o álbum, a cantora contou com um time de músicos que acompanham artistas renomados no mundo da música. A produção musical e a guitarra são de Marcelinho Guerra, o contrabaixo é de Frederico Heliodoro, nos teclados está Marcus Abjaud, o baterista é Felipe Continentino, os arranjos, synths e percussões são de Frederico Selva e ainda na percussão está Daniel Guedes.

 

Comentários
×