Fim de semana é marcado por acidentes na região Centro-Oeste

Painel analisa ocorrências nas rodovias mineiras em 2021; embriaguez ao volante continua sendo a principal causa

 

Bruno Bueno

O fim de semana foi marcado por diversos acidentes na região Centro-Oeste. Tombamento de carreta, colisão de motos, ocorrência envolvendo dois tipos de veículos diferentes e muitos outros episódios foram contabilizados no sábado e domingo. 

 

Tombamento

Um dos acidentes mais preocupantes foi registrado em Nova Serrana. Uma carreta tombou por volta de 15h30 do último sábado. O motorista perdeu o controle do veículo próximo a um radar na BR-494. 

De acordo com informações do Samu, os socorristas atenderam uma mulher de 49 anos com traumatismo cranioencefálico leve e suspeita de fratura na clavícula. Um homem de 50 anos, com ferimento no braço esquerdo, também foi atendido.

A primeira vítima foi encaminhada para o Hospital São José, em Nova Serrana. O homem, por sua vez, foi levado para a UPA do município.

 

Arcos e Carmópolis

No mesmo dia, aproximadamente às 17h30, um acidente envolvendo dois caminhões deixou um homem de 33 anos ferido. A colisão aconteceu na BR-381, próximo ao pedágio, em Carmópolis de Minas. Os socorristas do Samu informaram que a vítima estava consciente, com possível fratura na perna, pelve e costelas. Ele foi encaminhado para a UPA de Oliveira. 

Um menino de apenas seis anos foi encontrado inconsciente pelos profissionais de emergência. Ele quebrou a perna e apresentava cortes na testa. Após ser intubado, ele foi encaminhado para a sala vermelha do Hospital São Judas Tadeu em Oliveira.

Pouco depois, às 20h30, o Samu atendeu mais um acidente na região. A ocorrência, desta vez, foi registrada na BR-354 em Arcos. Segundo informações do órgão, um carro colidiu com um caminhão após o viaduto que liga a cidade até Iguatama.

Um jovem de 21 anos ficou gravemente ferido. A vítima estava inconsciente e em parada cardiorrespiratória. Ele recebeu os primeiros atendimentos e foi encaminhado para o Hospital São José, no município. Outro jovem, de 19 anos, foi atendido com dores na clavícula, possível fratura na perna direita e cortes no supercílio.  

 

Colisão de motos

No domingo, o principal acidente foi registrado em Onça de Pitangui. A colisão, que envolveu duas motos, aconteceu por volta de 16h40, na BR-352, após o trevo São João. 

— Ao chegar ao local, a equipe da Unidade de Suporte Básico (USB) de Divinópolis fez o atendimento de uma mulher de 29 anos. Estava consciente, com escoriações e possível fratura no braço direito — afirmou o Samu em nota.

A vítima recebeu os primeiros atendimentos, foi imobilizada e encaminhada para a UPA de Pará de Minas. 

— O Resgate G3 também atuou no atendimento desta ocorrência e ficou responsável pela outra vítima, sem sexo e idade identificados. Estava consciente e apresentava apenas escoriações — completou.

 

Painel

Os acidentes na região neste fim de semana acumulam as milhares de ocorrências registradas neste ano. A tendência de aumento dos números é evidenciada no levantamento da Conferência Nacional do Transporte (CNT) sobre os acidentes registrados em rodovias mineiras no ano passado. 

 

Por meio do Painel de Consultas Dinâmicas dos Acidentes Rodoviários, o órgão analisou todas as ocorrências. Nas estradas federais que cortam o estado, em 2021, 8.309 acidentes, sendo 7.077 com vítimas e 693 mortes, foram registradas. A rodovia com mais óbitos e ocorrências foi a BR-381, especialmente no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares, conhecida como “Rodovia da Morte”. 

Ainda segundo o Painel, ocorreram, em média, 87 acidentes com vítimas a cada 100 km de rodovias mineiras no ano passado. A cada 100 acidentes com vítimas, 10 morreram no ano passado. Analisando a região Sudeste, foram contabilizados 16.483 acidentes com vítimas e 1.369 mortes. No Brasil, foram 52.762 acidentes com vítimas e 5.391 mortes nas rodovias federais no mesmo período.

 

Análise

A análise evidencia os tipos de acidentes registrados. A maioria deles, em Minas, foram colisões (3.709), que representam 52,5% das ocorrências e 57% das mortes (394). Saída de pista, capotamento, atropelamento, queda de ocupante, eventos atípicos, incêndio e derramamento de carga prosseguem a lista. 

O dia da semana com mais acidentes com vítimas e mortes foi sábado, quando, somente em Minas, cerca de 1.199 ocorrências e 125 mortes foram registradas. Seguem a lista o domingo, sexta-feira, segunda-feira, quinta-feira, quarta-feira e terça-feira. A faixa etária com mais mortes registradas são as pessoas acima de 45 anos, que contabilizam 234 óbitos em 2021. Prosseguem a lista: 36 a 45 anos (161), 26 a 25 anos (142), 18 a 25 anos (94), 13 a 17 anos (14) e até 12 anos (15). 

A lista dos veículos mais envolvidos em acidentes com mortes é liderada pelos automóveis comuns. Foram 332 óbitos, representando 47,9% do total. Os caminhões (167), motos (126), bicicletas (26), demais veículos (23) e ônibus (19) prosseguem a lista. Dos 693 óbitos, 580 são homens, 111 mulheres e dois não foram identificados. 

 

Fatores

Os principais fatores que podem explicar os números foram evidenciados pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Somente em 2021, o Estado registrou 14.953 episódios de condução de veículos sob influência de álcool. Há dois anos, em análise comparativa, o número foi de 12 mil. 

Apesar da intensa fiscalização policial, que realiza operações como a Lei Seca, a embriaguez ao volante continua sendo o principal fator de acidentes de trânsito em Minas.

Comentários
×