Experiência terapêutica vanguardeira

Experiência terapêutica vanguardeira

 

Cesar Vanucci *

 

“Médico brasileiro (nos EUA) desenvolve 

tratamento para combater doenças degenerativas.”

(Domingo Espetacular, Record TV)



A TV Record brindou o respeitável público, no “Domingo Espetacular” (5.12.21), com uma reportagem em perfeita sintonia com a denominação do programa. O repórter André Tal, confessando-se portador há anos do “Mal de Parkinson”, identificou nos Estados Unidos, em Miami, Flórida, uma clínica de neurologia, onde vem sendo executado, em caráter experimental, processo terapêutico vanguardeiro no tocante a transtornos de saúde ligados ao cérebro.

 

O trabalho jornalístico, de excelente conteúdo, didaticamente apresentado, traz informações preciosas, devidamente documentadas acerca dos resultados surpreendentes, pode-se dizer, de certa forma, quase imediatos, de tratamentos envolvendo pacientes acometidos de “Alzheimer”, “Parkinson” e outros distúrbios inerentes ao sistema neurológico.

 

O processo, autorizado pelo FDA ‒ a Anvisa estadunidense ‒, é coordenado pelo profissional da medicina brasileiro Marc Abreu, criador da técnica. Conforme descrição de André Tal, consiste no seguinte: o paciente é introduzido num sofisticado equipamento intitulado “Túnel Térmico Cerebral”. Nesse “tubo” existem dispositivos que desencadeiam impulsos elétricos incumbidos de atacar as chamadas “proteínas defeituosas”, visando estabelecer ciclo de restauração no cérebro. Para isso o corpo do paciente é aquecido a mais de 100 graus centígrados, sem que a elevada temperatura, de conformidade com a tecnologia empregada, moleste o receptor das descargas elétricas. A aplicação induz ao surgimento de “proteínas de choque térmico”. Elas promovem a reparação das “proteínas defeituosas” e estabelecem o ciclo de regeneração cerebral. 

 

O médico responsável pela aplicação do revolucionário protocolo salienta que a proteína é capaz de regenerar, de remodelar e também retirar os tecidos tóxicos causadores das enfermidades. Ele anota, também, que os impulsos elétricos dirigidos aos pontos afetados podem libertar os enfermos de seus padecimentos. Faz questão de frisar que o trabalho é experimental e que, como cientista, não se sente em condições de garantir, de pronto, a cura dos males, mas que efeitos bem promissores vêm sendo alcançados nesta fase, o que dá condições a serem aventadas possibilidades reais de cura. 

 

A esperança que brota, na eficácia do método, está amparada em demonstrações do que ocorreu com o próprio jornalista, após uma única aplicação, vistas na reportagem. São mostradas cenas das dificuldades enfrentadas pelo paciente na movimentação de membros superiores e inferiores no período anterior à sua condução ao “tubo” e, na sequência, o completo desembaraço na movimentação de braços e pernas logo após a aplicação recebida. São imagens que deixam forte impressão. A narrativa contempla, também, casos de pacientes acometidos do mal de Alzheimer e Ataxia espinocerebelar. Tais pacientes admitem haver ocorrido melhoras significativas no estado de saúde após sessões de tratamento no “Tubo Térmico Cerebral”.

 

A matéria jornalística é rica em detalhes. 

O médico brasileiro Marc Abreu é professor e pesquisador da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Este: www.bttcorp.com – é o site da clínica do doutor Marc Abreu em Miami, Florida, Estados Unidos, onde são desenvolvidos os trabalhos precursores do tratamento mencionado. 

 

Cesar Vanucci é jornalista 

 

[email protected]

 

Comentários
×