Estatueta Lindolfo Fagundes ser√° entregue nesta noite

Evento homenageia artistas que fizeram história na cultura da cidade; Jornal Agora é padrinho

Da Redação

A noite de hoje será de gala no Teatro a Gravatá, a partir das 19h30, quando ocorre a premiação dos Melhores do Ano – Troféu Lindolfo Fagundes.  Lançado em 2020, o encontro teria edições seguintes, mas, por causa da pandemia, foi adiado. Com as atividades voltando à normalidade e o avanço da vacinação contra a covid 19, será possível  a entrega dos troféus. O Jornal Agora é uma das empresas madrinhas.  Sua diretora, Janiene Faria, fará a entrega da estatueta para o melhor ator mirim. 

 

Categorias

Por uma plataforma digital, as votações foram realizadas para três indicados de cada categoria – sendo elas: ator profissional, ator amador, atriz profissional, atriz amadora, ator mirim, atriz mirim, diretor, espetáculo e cenário. 

— Vai ser uma solenidade pequena, curta, para poucos convidados, uma vez que o teatro ainda está com limitações. O troféu foi lançado em março de 2020, e vamos conseguir fazer o evento neste ano. Tivemos três indicados de cada categoria. Eles receberão os convites e poderão levar seus convidados para participarem deste encontro de valorização dos artistas e homenageando Lindolfo Fagundes, que foi um grande teatrólogo de muita importância para a cidade — explicou o idealizador do evento, Ricardo Silva.

 

Evento

O Gravatá foi palco da primeira edição da premiação Melhores do Ano – Troféu Lindolfo Fagundes, no ano de 2020. As figuras contempladas no lançamento foram Cidah Viana e Cláudio Ramos. A atriz e escritora é reconhecida também por seu trabalho social, como fundadora do grupo Doutores Palhaços de Divinópolis, em 1996. O prêmio foi recebido  por suas filhas e amigas. Já o diretor e ator Cláudio Ramos, que morreu há um mês,  foi valorizado por seu incentivo à produção e criação de trabalhos culturais, com destaque à sua peça “Lugar de Mulher”. 

 

Lindolfo Fagundes

Nascido em Andrelândia, cidade localizada no Sul de Minas, José Lindolfo Fagundes sempre se dedicou a escrever, trabalhar em rádio e fazer teatro, como autor e ator. O empresário, teatrólogo, escritor e fundador do Theatron, que foi um dos mais importantes espaços para a cultura e a arte da cidade nas décadas de 1980 e 1990, e foi também vice-prefeito na administração do então prefeito Aristides Salgado no período de janeiro de 1993 a dezembro de 1996. Embora fosse bastante popular, a política não era o forte de Lindolfo, que, depois de deixar o cargo de vice-prefeito, se afastou definitivamente da vida pública.

Membro e ex-presidente da Academia Divinopolitana de Letras (ADL), Lindolfo tem entre suas as principais obras o livro “Chapéu Roxo”, lançado em 2004. Já o Theatron, seu grande sonho, possibilitou aos divinopolitanos assistirem às principais peças teatrais que percorriam o país nas décadas de 1980 e 1990. Pelo Theatron, passaram atores como Nicette Bruno, Paulo Goulart, Agildo Ribeiro e a grande Fernanda Montenegro.

Lindolfo Fagundes morreu no dia 30 de agosto de 2011, em razão de complicações na saúde provocadas por diabetes e pressão alta.

Coment√°rios
×