Era esperado

Era esperado 

O que todo mundo, aliás, a parcela que tem consciência temia, aconteceu. Cerca de duas semanas após as confraternizações do fim de ano, os casos de covid-19, Influenza e flurona dispararam no país. Minas Gerais segue o mesmo ritmo, como diversos municípios do estado, incluindo Divinópolis. Triste que os números nas alturas vêm logo no momento em que as cidades ainda contabilizam os estragos causados pela chuva e tentam recuperar pelo menos parte do que foi levado ou danificado pela água. O que dizer então das pessoas afetadas, ainda fragilizadas?  É levantar de um tombo, tropeçar e cair de novo. 

 

Reflete a alta 

A escalada em Divinópolis já é preocupante pelo aumento considerável nos últimos dois dias. Dados da última sexta-feira mostravam 22,5% de hospitalização de pacientes com covid; na terça, 47,5%; e, ontem, havia dado um salto de 10% em 48 horas. Ou seja, a quantidade mais do que dobrou. Só nas UTIs são 23 pessoas internadas na cidade. Houve dias em que três hospitais não tinham um paciente sequer. O resultado das aglomerações apareceu e, com ele, mais complicações, pois agora não se trata apenas do coronavírus, suas variantes têm um poder de transmissão ainda mais violento. Falta de avisar e recomendar não foi, mas os incrédulos só acreditam depois que não há como mais se evitar. Agora, é torcer para que a situação não fique como no ano passado, pois o Estado já fala até em regressão de ondas. 

 

Único remédio 

E só não está pior porque as vacinas têm um papel crucial neste processo. Muita gente já tomou a segunda e a terceira doses. Esse público não tem a situação agravada, poucos precisam se internar. Mas, para quem não está imunizado, pode ser fatal. E ainda tem gente antivacina. Onde esse povo vive?  Pior que, se ficassem restritos às suas ignorância, ainda se tolerava, o problema é que ameaçam outras pessoas. Talvez, ainda não tenham passado por uma situação mais grave ou perdido alguém querido. Infelizmente, muitos só aprendem com a dor. 

 

A vez delas 

Agora sim. Os pais podem ficar tranquilos em relação
à imunização das crianças. As primeiras doses chegaram ontem ao Brasil, destinadas aos pequenos de 5 a 11 anos. A vacina será a Pfizer. O lote será distribuído a estados e municípios para iniciar a aplicação. Porém, ainda não foi decidido como será o aparato para aplicação, pelo menos em Divinópolis. O Município prefere aguardar a chegada da remessa. O que não pode é misturar com os adultos  nas unidades de saúde, onde os casos crescem a cada dia. Um novo drive thru, quem sabe?!

 

Negado

A Reunião Extraordinária na Câmara ontem terminou sem votar o principal projeto em pauta: a Reforma Administrativa proposta pela atual Administração. Com exceção de cinco parlamentares, os vereadores aprovaram o sobrestamento, por 30 dias, do projeto, solicitado por Hilton de Aguiar (MDB). Quem era a favor da proposta ficou descontente com a decisão, a qual classificaram como desrespeito à população e infantilidade. Quem é contra o texto cita a fragilidade de alguns pontos. 

 

Novo tremor?

Novamente, moradores de Divinópolis se viram "sacudidos" por um novo tremor de terra na cidade. A Prefeitura informou que a Defesa Civil recebeu vários relatos similares e decidiu acionar a Central de Sismologia do Departamento de Geofísica do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP) para investigar o ocorrido. 

Comentários
×