Drive-thru do Centro Administrativo permanece em funcionamento

Ponto de imunização será fechado após término de aplicação de Janssen

Matheus Augusto

O drive-thru do Centro Administrativo, que tinha previsão de encerrar seu funcionamento na última semana, permanece aberto. O ponto de vacinação é exclusivo para aplicação de Janssen. Em Divinópolis, cerca de 6 mil moradores tomaram a vacina fabricada pela Johnson & Johnson e, agora, precisam do reforço. Ao Agora, a Prefeitura informou não ter nova data para o fechamento do drive. A expectativa é que ele siga em atividade até o fim das doses do referido imunizante. No entanto, ontem, algumas pessoas que procuraram a Pfizer foram vacinadas. 

 

Morte

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) confirmou ontem mais uma morte por covid-19. De acordo com o comunicado, a vítima foi um homem, de 80 anos. Ele era portador de doença neurológica crônica. A causa era investigada há aproximadamente três meses. O homem morreu em 18 de setembro. 

Com isso, dezembro segue, até o momento, com o registro de apenas um óbito pelo vírus.

 

Ocupação

As hospitalizações pela doença na cidade seguem baixas. A Semusa voltou a atualizar os dados ontem. Atualmente, sete pessoas (17,5%) estão internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) exclusivas para covid-19. Nesse setor, a cidade tem 40 leitos disponíveis.

Segundo a Semusa, apenas o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) possuiu internações por coronavírus, com quatro pacientes no CTI adulto e três na área infantil. 

— Os hospitais Santa Lúcia, Santa Mônica e São Judas Tadeu não contam com nenhuma internação nesse setor — relatou a secretaria.

 

Decisão

Com a proximidade do Natal e do Ano Novo, as autoridades em Saúde preveem o aumento de circulação de pessoas em todo o estado. A preocupação especial, para além de aglomerações, é a possível disseminação da nova variante, a Ômicron (B.1.1.529). Os fatores contribuíram para a decisão anunciada ontem pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais: a redução de cinco para quatro meses do intervalo entre a segunda e a terceira (reforço) dose. A medida, publicada no Diário Oficial de Minas Gerais, já está em vigor. 

A meta é ampliar o reforço antes das festividades.

— A medida tem o objetivo de avançar com a maior operação de vacinação já realizada no estado, bem como ampliar a cobertura vacinal contra a covid-19 entre a população mineira — comunicou o governo.

A coordenadora Estadual de Imunização, Josianne Dias Gusmão, classificou a medida como preventiva à Ômicron.

— O estado possui a maior malha rodoviária do país e, com o aumento das viagens, a circulação de pessoas também será mais intensa, possibilitando a transmissão do vírus da covid-19 e das variantes de atenção. Diante da não obrigatoriedade, até o momento, da apresentação de comprovação de esquema vacinal completo para os viajantes, se faz necessário a adoção de medidas de intensificação da vacinação, a exemplo do ocorrido na Europa, como a antecipação da aplicação da dose de reforço da vacina — reforçou.

Cada cidade tem autonomia para estabelecer estratégias para o calendário de vacinação, conforme a realidade local.

A coordenadora explica, ainda, a importância das doses para a imunidade individual e coletiva.

— É importante destacar para a população que as pessoas que não completaram o esquema vacinal ficam mais vulneráveis à infecção pelo coronavírus, elevando tanto o risco individual quanto o coletivo, uma vez que, além de correrem o risco de adoecer, também contribuem para a circulação do vírus, pois podem infectar outras pessoas vulneráveis. E tanto a segunda dose quanto a dose de reforço são fundamentais para evitar aumento de casos e garantir proteção coletiva — explica.

 

Comentários
×