Documentário resgata a tradição do Reinado

Diversidade das experiências foi captada em bairros  de Divinópolis e outras cidades; direção é de Igor Bastos

Da Redação

O Reinado é uma vivência, um outro mundo em que se vive, assim como se vive aqui e agora. É com essas palavras que um dos entrevistados define uma das mais tradicionais celebrações mineiras no recém-lançado documentário “Sá Rainha e os Capitães do Mar” (2022). Dirigida pelo cineasta divinopolitano Igor Bastos, a produção, um média-metragem a cores de 77 minutos, é exibida nas comunidades do município em que foram registradas cenas da festa religiosa. Também há sessões marcadas para outras cidades, cujos festejos reinadeiros foram incluídos na produção. 

Produção

Projeto vencedor da Chamada Vale 2020, programa do Instituto Cultural Vale que financia produções culturais, “Sá Rainha” usa o recurso autoral para contar a tradição do Reinado de Nossa Senhora do Rosário. O documentário revela a festa religiosa a partir dos olhos de Igor, resgatando sua experiência de ter visto pela primeira vez, ainda criança, um grupo de participantes que se dirigiu à casa de sua avó durante os festejos. A partir desse ponto de vista, uma bem-costurada sucessão de imagens e depoimentos, acompanhada de uma diversidade impressionante de cores  sons, vai desvelando diante do telespectador falas, cantos e saberes da festa, que é considerada patrimônio imaterial de Minas Gerais.

— Nas nossas andanças por vários locais foi possível perceber que as tradições do Reinado são fortes, mas correm o risco de se perder em alguns lugares — contou Igor à reportagem do Agora

Segundo o diretor, algumas das localidades visitadas têm tradições essencialmente orais. 

— Nessas comunidades, é comum que uma única pessoa guarde todo o saber sobre as cerimônias, que vão muito além do aspecto lúdico, pois se abrem também a uma rica experiência mística e existencial — avalia o cineasta. 

E acrescenta.

 —Foi tocante perceber que o reinado não é um evento para a grande maioria de seus cultivadores: ele é o centro da vida deles, o evento pelo qual esperam e trabalham o ano inteiro— conta. 

Para filmar a diversidade da experiência reinadeira, Igor e sua equipe foram às cidades de Pará de Minas, Mariana, Ouro Preto e Congonhas. Em Divinópolis foram feitos registros, entre outras, nas comunidades reinadeiras dos bairros Interlagos, Dona Quita, Alto São Vicente, Niterói, Tietê e Amadeu Lacerda. 

Equipe

Responsável pela produção, a Espacial Filmes, empresa fundada por Igor, recrutou uma equipe que conta, além do próprio cineasta, que assumiu a montagem e a edição, com vários colaboradores, entre eles Rafael de Deus (direção de fotografia e colorização), João Rafael (técnico de som) e Rafael Bicalho (mixagem). A produção executiva é de Christopher Costa e a direção de design, de Elisa Guimarães.    

Comentários
×