Divinopolitano desembolsa R$ 141 a mais para comprar alimentos em 1 ano

 

 

Pablo Santos

 

Para comprar os itens básicos da alimentação, o divinopolitano precisou desembolsar R$ 141 a mais em maio, na comparação com o mesmo período do ano passado. A conclusão é do Boletim Econômico elaborado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico-Sociais (Nepes) do Centro Universitário (UNA) - Unidade Divinópoli,s divulgado na terça-feira (14/06). Em maio do passado, a cesta básica na cidade estava cotada a R$ 433,99. Em 2022, no mesmo mês, o conjunto de alimentos custa R$ 578,19, ou seja, uma alta de 32% no comparativo entre os dois períodos.

Nos últimos 12 meses a cesta básica na cidade apresentou seguidos aumentos. E o maior valor foi alcançado em abril desde ano: R$ 621,81, apontou o Nepes.

Quando se compara abril com maio, os itens apresentaram declínio nos preços de 7,02%. Mesmo com a queda no valor dos itens em maio, o custo da cesta básica é o segundo maior dos últimos 12 meses.

O levantamento de preços foi realizado em seis supermercados de Divinópolis. São analisados 13 produtos alimentícios suficientes para o sustento e bem-estar de um trabalhador em idade adulta, durante um mês, contendo quantidades balanceadas de todos os nutrientes necessários a manutenção da saúde.

 

Divinópolis x BH

Em maio desde ano, observou-se uma variação de 12,9% no custo da cesta básica entre Divinópolis e Belo Horizonte com um impacto maior no orçamento do trabalhador residente na capital mineira.

Na capital mineira, no mesmo passado, a cesta básica custou para os belorizontino R$ 653,12, contra os R$ 578,19 de Divinópolis.

Em Belo Horizonte, o valor da cesta básica também recuou em relação a abril, uma redução de 5,81%.

 

  
Comentários
×