Divinópolis: Vacinação infantil será realizada em escolas municipais

Da Redação

Desde a semana passada, nas Escolas Municipais Antonieta Fonseca (Quinta das Palmeiras), Dona Maria Rosa (Realengo), João Gontijo da Fonseca (São Lucas) e Sidney José de Oliveira (Jardim Candides), a Secretaria de Saúde (Semusa) realiza a busca ativa de crianças entre 5 e 11 anos para a vacinação contra a covid-19 nas unidades de ensino. A medida tem como objetivo intensificar imunização do público infantil na cidade, garantir o acesso das famílias ao imunizante e assegurar o direito à vacinação.

Buscando garantir o direito de todas as crianças e estudantes à imunização contra a covid-19, a Secretária Municipal de Educação enviou uma ficha de consulta aos pais com o objetivo de realizar um levantamento das famílias que desejam que os(as) filhos(as) recebam a vacina na própria unidade escolar. Deixando claro para as famílias que a vacinação não é obrigatória, ou seja, os pais e responsáveis podem optar por autorizar ou não a vacinação na unidade escolar.

Os estudantes só poderão ser vacinados mediante autorização dos pais ou responsáveis. No entanto, a presença dos pais não é obrigatória, bastando somente um documento de concordância com a imunização contra a covid-19. O termo já foi disponibilizado, mas poderá ser retirado pelos pais e responsáveis nas escolas participantes.

Segundo a Vice-Prefeita e Secretária de Governo, Janete Aparecida, quase 9 mil crianças nesta faixa etária ainda não se vacinaram.

- A primeira etapa da vacinação infantil acontecerá em 4 escolas, mas a partir da experiência positiva na cidade, pode ser repetida em mais escolas do Munícipio. Somos transparentes na comunicação com a população para que os pais ou responsáveis tenham confiabilidade de que as vacinas salvam vidas - destacou.

Até ontem, quarta-feira, 23, Divinópolis alcançou a marca de 47,9 % de crianças vacinadas com a primeira dose (D1) dos imunizantes, totalizando 9.091 doses aplicadas. A estimativa para essa faixa etária é imunizar um total de 18.978 crianças na cidade.

Segundo Tércio Leão, Coordenador da Central de Imunização, tudo está sendo preparado para que a vacinação infantil nas escolas aconteça amanhã, 25.

- As UBSs próximas as escolas já estão preparadas para realizar a imunização nas instituições de ensino selecionadas e continuar com o atendimento nas unidades - ressaltou.

O Secretário Municipal de Saúde, Alan Rodrigo, explicou que a vacinação nas escolas municipais é mais uma iniciativa da gestão para ampliar o acesso a vacina e aumentar a cobertura vacinal em Divinópolis. ”

- Uma vez que a vacina demonstrou ser efetiva no enfrentamento da pandemia da covid-19, diminuindo consideravelmente a ocorrência de casos graves da doença, sendo a vacina aprovada pela Anvisa, portanto, segura para usa deste público é fundamental a adesão dos pais para que avancemos ainda mais na cobertura vacinal de nossas crianças - destacou.

A Secretária Municipal de Educação, Andreia Dimas, relembra que números atuais da vacinação infantil já demonstram que os pais e responsáveis têm levado seus filhos para se vacinarem.

- Promover a vacinação dentro das escolas, é mais uma maneira rápida e eficiente de garantir a imunização das crianças, fazendo com que o número de vacinados na nossa cidade seja cada vez maior - disse Dimas.

Sobre as doses:

Duas vacinas foram autorizadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para o uso no público infantil: a Pfizer e a CoronaVac. A primeira é voltada para crianças a partir dos 5 anos e imunossuprimidas; a segunda, para o público geral, a partir de 6 anos. 

Há intervalos diferentes entre doses das vacinas em crianças, conforme a marca do imunizante. As de 5 anos, por exemplo, são vacinadas exclusivamente com doses da Pfizer pediátrica. Elas precisam esperar 56 dias ou oito semanas para a D2. Quem tem de 6 a 11 anos, e tomou a primeira dose da Pfizer, também tem de aguardar esse mesmo intervalo. Para aqueles que tomaram Coronavac, o intervalo é de 28 dias.

Em Divinópolis, a imunização das crianças com comorbidades pré-definidas e/ou deficiência permanente, começou imediatamente após a liberação da Anvisa, em 19 de janeiro. E, a das crianças sem comorbidades teve início no dia 21 de janeiro.

Comentários
×