Divinópolis encerra 2021 com saldo positivo de empregos

Setores de comércio e serviços se destacaram na geração de vagas no período de 12 meses

 

Da Redação

Criação de empregos formais positiva. Foi assim que Divinópolis fechou o mês de dezembro de 2021. De acordo com o monitoramento econômico da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, em parceria com Instituto Vitaltec, foram registradas 2.159 admissões e 2.393 demissões no último mês do ano, o que resultou no saldo negativo de -234 postos de trabalho. O monitoramento tem como base os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados no fim do mês.

 

Desempenho

A indústria apresentou o pior desempenho com saldo negativo de -139 vagas, seguida pelo setor de serviços com -46, construção -33 e comércio com -19 vagas de emprego. Apenas a agropecuária registrou saldo positivo em dezembro, com a criação de apenas três novos postos.

 

Saldo positivo

Apesar do resultado negativo no mês de dezembro, no acumulado do ano o saldo foi positivo com a criação de 3.678 novos postos de trabalho. O número é de 29.156 admissões e 25.478 desligamentos.

A cidade ficou em primeiro lugar na criação de vagas no período de 12 meses, com 3.678 postos constituídos. Em seguida, ficaram Itaúna, com 2.497, e Nova Serrana, com 1.993. Já entre os municípios mineiros com os maiores saldos na geração de empregos em 2021, Divinópolis ocupa a 13ª colocação.

— Mesmo com o saldo negativo em dezembro, o resultado do acumulado do ano foi muito positivo. Esse é um indicador que deve ser comemorado, pois demonstra a força do comércio de bens e serviços na manutenção do ciclo de expansão da atividade econômica. A expectativa, com a proximidade do fim da pandemia, é que o movimento de recomposição da força de trabalho se intensifique ainda mais em 2022 — avaliou o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, Heider Vitor de Freitas. 

 

Comércio e serviços 

De dezembro de 2020 até o mesmo mês de 2021, o setor de serviços foi o responsável pela maior parcela de geração de empregos em Divinópolis, com 1.138 vagas. Em segundo lugar ficou o comércio, com 1.058, seguido pela indústria, com 935, e construção, com 337. A agropecuária registrou saldo negativo de -29 postos de trabalho.

— O segmento de prestação de serviços mais uma vez foi o forte em termos de contratações e há muito não se via a agropecuária fechando no negativo. Mas, dentro de um contexto atual, entre fechamento e aberturas de comércio, o ano foi positivo diante de uma pandemia, que ainda não acabou — analisa o economista Leandro Maia.

 

Comentários
×