Divinópolis confirma surto de covid, três mortes e novas campanhas

Autoridades em saúde reforçam medidas de segurança sanitária na Vila Vicentina

 

Da Redação

Dezesseis casos de covid-19 confirmados - 15 em idosos e um em funcionário. Esse foi o encontrado pela Secretaria de Saúde (Semusa) na Vila Vicentina. A pasta fez uma testagem em massa no local após a direção da Vila notificar que um dos internos havia sido internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pela doença. Em nota, a Prefeitura informou que apenas ele segue internado.

— Os demais estão em isolamento e sendo monitorados — informou.

A atual administração acrescentou, ainda, que todos os idosos na instituição estão com o esquema vacinal contra o coronavírus em dia. 

—Na Vila Vicentina, todas as medidas de prevenção são realizadas, como a utilização de máscaras e uso de álcool em gel e, neste momento, as medidas foram intensificadas, com a suspensão de visitas e atividades externas — reforçou.

Boletim

A morte de mais três residentes foi confirmada ontem, pela Prefeitura. A primeira delas ocorreu em 12 de julho, quando um homem, de 46 anos, não resistiu à doença. Ele era portador de doença cardiovascular crônica, aplasia medular, anemia e hipotireoidismo.

A segunda vítima é um homem, de 88 anos, sem comorbidade. Ele morreu em 21 de julho.

A fatalidade mais recente foi na última sexta-feira, 5. O paciente era um homem, 84,  portador de doenças cardiovascular, neurológica, pneumática e renal crônicas, diabetes mellitus e câncer de bexiga. 

Hospitalizações

A atualização mais recente da situação da pandemia nos hospitais, divulgada na terça, aponta para dez pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) entre os 46 leitos disponíveis para covid-19, ou seja, 21,74%. No setor de enfermaria, a taxa é de 23,29 %, com 17 leitos ocupados entre os 73 totais.

Nas Unidades de Terapia Intensiva, o Complexo de Saúde São João de Deus registra um paciente internado no CTI adulto da área suplementar, além de sete casos no CTI adulto na área atendida pelo SUS. O Hospital Santa Mônica conta com duas internações no CTI adulto — detalhou a Vigilância em Saúde.

Vacinação

Uma das consequências da pandemia foi a queda na cobertura vacinal de outras doenças em crianças. A Prefeitura também anunciou a abertura da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e da Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente.

— As coberturas vacinais no Brasil vêm apresentando um processo de queda nos últimos anos, provocando sérios problemas à saúde da população. Esse fato fica enfatizado pelo aumento de casos de algumas doenças ou reintrodução da transmissão delas, principalmente daquelas que já estavam controladas, como o sarampo, por exemplo — justificou.

O público-alvo são crianças e adolescentes com menos de 15 anos. A campanha será realizada em todas as unidades básicas de saúde do município, de segunda à sexta-feira, até o dia 9 de setembro.

Na Campanha Nacional contra a Poliomielite, todas as crianças de 1 ano a menores de 5 anos serão protegidas com a vacina oral. 

— A expectativa é de imunizar 95% das crianças dessa faixa etária — informou a atual administração.

Já na multivacinação, o objetivo é atualizar a situação vacinal da população menor de 15 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias).

Comentários
×