Divinópolis completa um ano de vacinação contra a covid-19 com primeiras crianças imunizadas

Em balanço, secretário destacou importância do processo para frear casos graves e mortes

 

Da Redação

Divinópolis completou ontem um ano de vacinação contra a covid-19. De acordo com dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), 180.566 pessoas já foram imunizadas com as duas doses ou dose única e outras 55 mil pessoas tomaram a dose de reforço.

Com o avanço da variante ômicron e a flexibilização das medidas de isolamento, a cidade vem apresentando um crescimento no número de casos, porém, devido à vacinação, apenas duas mortes em janeiro foram registradas até o momento.

 

Crianças

A imunização de crianças entre 5 e 11 anos, começou ontem na cidade. Ao todo, o município recebeu 2.140 doses pediátricas da Pfizer, que serão voltadas para as crianças que possuem comorbidade e/ou deficiência permanente.

O primeiro vacinado foi Gabriel Sousa, de 10 anos, do bairro Vila Romana. Ele tomou a primeira dose no Posto de Saúde do bairro Bom Pastor.

A mãe de Gabriel, Dulce Aparecida de Souza, contou que estava ansiosa esperando o momento da vacinação de seu filho.

—  Assim que abriu o cadastro, já garanti a vaga dele, para que ele possa voltar seguro para a escola, já que são quase dois anos sem — afirmou. 

 

Giovanna, de 5 anos, também se vacinou ontem na cidade. Sua mãe, Melina, de 28 anos, contou que também esperava pelo momento com ansiedade e sem nenhum receio.

— Esperei ansiosa por esse momento, especialmente por mim e minha família, que estamos rigorosos nos cuidados com relação à pandemia. Vibrei ao saber que a Giovanna poderia ser vacinada neste primeiro momento e agora estou feliz em vê-la bem. Confiamos plenamente na ciência e na vacina — destacou.

Após a imunização desse grupo, segundo a Prefeitura, serão imunizadas as crianças sem comorbidades, começando com as de 11 anos e diminuindo a idade, à medida que a imunização avance e a cidade for recebendo mais doses para esse público.

 

Primeira vacinada

Há exatamente doze meses, o técnico de enfermagem Regiano Viana aplicava a primeira vacina da cidade. A também técnica em enfermagem Fernanda Cândida da Costa, de 34 anos, foi a primeira divinopolitana a tomar a primeira dose contra o vírus. 

No momento da imunização, Fernanda se mostrou grata pelo momento.

Fico muito lisonjeada por ter sido a escolhida. Nós, profissionais da saúde, nos dedicamos, damos todo o nosso carinho para cuidar do outro, esse é o nosso trabalho. Todos os dias cuidamos das pessoas que nem sabem o nosso rosto, mas fazemos com amor. Os profissionais de saúde são os heróis no anonimato celebrou. 

O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) também esteve presente, além de outros nomes da política local. Em pronunciamento, ele parabenizou os profissionais da saúde.

Esse é um momento histórico que estamos vivendo com o início da vacinação em nosso município. Quero dar os parabéns para a Fernanda, que aqui representa todos os profissionais que atuam na linha de frente nos atendimentos aos pacientes com sintomas do covid-19. Deixo aqui também meus sentimentos aos familiares das mais de 120 vítimas do coronavírus em Divinópolis ressaltou.

Hoje, o número de óbitos por covid no município é de 663.

 

Eficácia

Fazendo um comparativo do início do ano de 2021 e 2022, é possível perceber a queda no número de óbitos e casos graves em Divinópolis. De acordo com o painel de bordo da vigilância do município, entre 1º de janeiro e 18 de janeiro de 2022, duas mortes foram notificadas, enquanto, no ano passado, nesse mesmo período, os óbitos registrados chegaram a 28.

O secretário de Saúde do município, Alan Rodrigo, reforçou a efetividade da vacina.

A gente observa que a vacina se mostrou satisfatória no que tinha de expectativa frente à vacinação. Mesmo com o aumento dos casos, o cenário de agravamento, hospitalização e óbitos caiu expressivamente — destacou.

Alan ressaltou, ainda, a importância de continuar com as medidas de prevenção ao vírus.

Com o aumento de casos, precisamos dar a devida atenção e continuar com as medidas de cuidado como o uso de máscara e distanciamento social, evitando aglomeração, principalmente aos fins de semana — finalizou.

 

Proteção

Foi o que a colunista social Renata Rachid, de 44 anos, sentiu após se vacinar. Ela disse ao Agora que tomou as duas doses e aguarda o reforço em fevereiro. No início de janeiro, a colunista foi diagnosticada com covid-19, mas seguiu segura da eficácia e proteção que a vacina proporciona. 

— Meu teste deu positivo, apesar de não ter quase nenhum sintoma. Eu não tive nada graças à vacina, à ciência e ao SUS, que nos permite essa oportunidade de nos vacinarmos — destacou.

A colunista e apresentadora Fernanda Ferreira, de 37 anos, também se sentiu segura após a imunização. Sendo portadora de doença autoimune, ela sentia que se contaminar com a doença, para ela, era um risco ainda maior. 

— Vacinar foi sensação de alívio e segurança. Desde o início da pandemia, fiquei apreensiva, foi bem sofrido esperar a chegada da vacina e, quando chegou a minha vez, fiquei muito emotiva. Foi uma sensação maravilhosa, um passo para eu ter uma vida com mais segurança — contou.

Fernanda já tomou três doses e aguarda a quarta. Apesar das reações, a vacina proporcionou uma liberdade que não era possível desde o início da pandemia.

— Saber que o risco de morte é quase zero foi quando finalmente tive coragem de voltar um pouco à minha vida normal. Vacina pra mim é sinônimo de alegria e liberdade. Imunizada, tenho muito mais liberdade de viver aquilo que eu quero e mereço — finalizou.

 

Boletim 

A Prefeitura de Divinópolis divulgou na última terça-feira, 18, o número atualizado de casos de coronavírus no município. Até o momento, 119.623 casos foram notificados e a cidade contabilizou 663 óbitos pela doença, sendo 352 homens e 311 mulheres. Duas das mortes ocorreram neste ano.

A taxa de pacientes internados com covid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) subiu para 65% – são 26 pessoas nos 40 leitos disponíveis no município. Já no setor de enfermaria, a taxa atingiu 88,37%, com 38 leitos ocupados entre os 43 totais.

 

 

Comentários
×