Dia das Mães promete movimentar o comércio

Data deve angariar cifra próxima de R$ 28,16 bilhões nos segmentos de comércio e serviços de todo o país

 

Jorge Guimarães 

O Dia das Mães, neste ano, será comemorado no próximo domingo, 8. Data de reunir a família em um almoço de cardápio variado, de lembrar as que não estão mais neste plano. E quem também comemora são os varejistas, que consideram a celebração a principal data comemorativa do primeiro semestre e a segunda melhor do ano, em termos de faturamento, perdendo apenas para o Natal. 

Embora a economia esteja ainda se recuperando em passos lentos, a expectativa entre os empresários é boa para os próximos dias. 

— O Dia das Mães é a segunda melhor data do ano em termos de faturamento e deve aquecer as vendas pelos próximos dias. Para o lojista, a expectativa para este ano é grande, uma pesquisa da Confederação Nacional Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que 79% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período. Apesar de o cenário econômico ainda ser desafiador, a data promete bons negócios. É o momento de presentear pelo menos duas mulheres, a mãe e a esposa, e a média de gasto gira em torno de R$ 200 com os presentes — explica o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de  Divinópolis, Heider de Freitas.

 

Presentes

Calçados, roupas, perfumaria e acessórios, como sempre, devem ser os campeões de venda em 2022. E, como em todos os anos, o comércio aguarda um aumento das vendas a partir de hoje, com um ápice no sábado pela manhã, pois, como de praxe, o brasileiro deixa tudo para a última hora. E, no embalo das datas comemorativas, alguns empresários já estão com suas estratégias de vendas alinhadas a ótimas promoções, como é o caso de uma tradicional loja feminina no Centro da cidade. 

— Estamos em promoção em blusas e vestidos, com os mais variados preços. Temos também muita procura pelos vestidos canelados, jaquetas e max blazer. E, falando em opções, as melhores marcas da moda feminina estão aqui — definiu o empresário Dalmo Vasconcelos.

A empresária Cláudia Silva, do segmento de calçados, espera um aumento nas vendas em torno de 10%.

— Espero um aumento em torno de uns 15% em relação a igual período do ano passado. E já estamos preparados para atender, da melhor maneira, nossos clientes, principalmente no sábado, dia que vai ser o de maior movimento — avaliou a empresária.

 

A dona de casa Valéria Carneiro já pesquisava preços.

— Vou presentear minha mãe com uma sandália e já estou na pesquisa de preços — disse.

 

Prestadores de serviços

E quem também lucra nas datas comemorativas são os prestadores de serviço, especialmente os restaurantes e lanchonetes, que até preparam cardápios especiais para a data.

— Já estou com tudo comprado, pois, como já é tradição, a casa prepara um cardápio especial. E neste ano aproveitamos a oportunidade e compramos alguns itens a mais, já pensando no Dia dos Namorados, e tivemos um bom desconto. Assim, repaginaremos alguns pratos para a data dos corações apaixonados — definiu o empresário Marcelo Morais.

 

Horário especial

Como de costume, em datas comemorativas a CDL de Divinópolis e sindicatos acordam sobre horários especiais do comércio varejista, nos dias que antecedem a data. Mas até ontem as negociações ainda estavam em andamento.

— Estamos ainda em negociações para que tudo possa correr dentro das normas. Assim que chegarmos a um consenso, a gente vai emitir uma nota — disse o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Divinópolis (Sincomércio), Gilson Teodoro Amaral. 

 

Brasil

Considerada pelos varejistas como o “Natal do primeiro semestre”, o Dia das Mães deve aquecer as vendas pelos próximos dias. Levantamento feito em todas as capitais pela CNDL e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offerwise, revela que 79% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período, o dado fica bastante próximo dos 77% observados em 2021. Em números absolutos, a expectativa é de que aproximadamente 127,2 milhões de brasileiros presenteiem alguém neste ano, o que deve movimentar uma cifra próxima de R$ 28,16 bilhões nos segmentos de comércio e serviços.

Comentários
×