Desigualdade de gênero no mercado de trabalho

Desigualdade de gênero no mercado de trabalho

As desigualdades de gênero no mercado de trabalho são percebidas pela hierarquia ocupacional e pelas diferenças salariais. Mesmo com uma maior participação da mulher no mercado de trabalho, sua inserção se dá em maior parte em setores já ocupados por maioria feminina. Além disso, as desigualdades salariais entre homens e mulheres se manifestam em quase todos os setores de atividade.

Mesmo na contratação formal, em grande parte dos estabelecimentos não há oportunidades iguais na contratação, permanência e ascensão profissional entre homens e mulheres, faltando muito para que o trabalho feminino seja equiparado ao trabalho masculino.

Dados do censo demográfico do IBGE mostram que cerca de 53% da população brasileira é formada por mulheres em idade ativa, entretanto, menos de 45% dos postos de trabalho são ocupados por elas.

Nas estatísticas de desemprego, as mulheres são as mais atingidas também. A taxa de desemprego é de 16,8%, acima da taxa geral de 14,6%  e da taxa de 12,8% para os homens. Quando se observa o total de homens com mais de 14 anos, 57,3% deles possuíam emprego no 3º trimestre de 2020, contra apenas 38,1% das mulheres. Os homens representavam também 57% do total de pessoas empregadas naquele momento, enquanto as mulheres eram maioria de desempregados.

É premente a redução das desigualdades de gênero sendo condição imprescindível para que o desenvolvimento econômico e social sejam pautados na efetivação dos direitos e na promoção da cidadania.

Nesse sentido, é de fundamental importância a construção de iniciativas de enfrentamento a essa desigualdade histórica para aumentar a participação feminina em setores diversos de trabalho com igualdade de condições de acesso, permanência e oportunidades nas instituições.

É por isso que iniciativas como o “Elas podem +”, dois cursos organizados e disponibilizados pela Secretaria Nacional da Mulher do Solidariedade, com apoio da Fundação 1ª de Maio, são tão importantes

Essa é uma grande oportunidade para todas as mulheres que buscam a superação desses obstáculos históricos que ainda nos colocam em posição secundária em diversas organizações, incluindo a política.

São cursos gratuitos, em formato EaD. O primeiro, o “Elas podem + Mercado de Trabalho” tem um conteúdo prático, pensado para auxiliar a construir uma carreira sólida de liderança, com dicas que vão do autoconhecimento à construção do seu currículo no LinkedIn.

Já o “Elas podem + Liderança”  é voltado para todas aquelas que desejam se engajar na política e protagonizar mudanças em nossa sociedade. Você vai conhecer a história de mulheres que conseguiram vencer barreiras e aprender a usar ferramentas que te impulsionam como agente transformador.

As  inscrições podem ser feitas pela plataforma EaD da Fundação 1º de maio por meio do endereço https://ead.fundacao1demaio.org.br/login/index.php

Espero por você, mulher, para juntar-se a nós nesse importante movimento de capacitação e preparação para a mudança do atual cenário na construção de um futuro risonho para nós, mulheres, merecedoras de acessos, oportunidade, crescimento e ocupação dos espaços.

Comentários
×