Cuidado com o telhado de vidro!

Batendo Bola

 

José Carlos de Oliveira

 

[email protected]

 

Cuidado com o telhado de vidro!

Não tem como não voltar ao assunto, afinal, o Guarani ainda é o que resta à cidade em termos de futebol profissional. Acabando o Bugre, a cidade dificilmente terá novamente um time competindo em torneios estaduais e nacionais. Essa, sim, é uma verdade que todos deviam ter em mente quando criticam sem ao menos apontar soluções.

“Pimenta nos olhos dos outros é refresco”, e procurar defeitos em nossos semelhantes é o prato principal da maioria. Quando sobra para ajudar, para dar a sua contribuição, tiram logo o corpo fora. Saem de fininho, como se nada daquilo fosse do interesse deles.

Apontam o dedo para acusar se esquecendo que três dedos de sua mão estão apontados para eles mesmos. E quem tem telhado de vidro devia mais era cuidar da própria casa...

 

Sem grana

Com o Bugre sem dinheiro para nada, tendo que “vender o almoço para comprar o jantar”, é impossível se exigir algo de quem quer que esteja à frente do clube, seja o João ou o Mané. Ser presidente do Guarani não é tarefa para qualquer um, não, e somente aqueles que amam verdadeiramente o futebol seriam capazes de se aventurar nessa loucura. Que o diga a família Morais (Gilson e Vinicius), que gastou do próprio bolso para manter as contas do clube em dia, e mesmo assim ainda tinha que aturar os corneteiros de plantão.

 

Sem procuração

Dos atuais diretores, a começar do presidente Robson Luís Camargos, pouco sei e muito menos tenho procuração para defendê-los. Só sei de uma coisa (tenho certeza disso): não fosse eles assumirem o cargo, o Guarani já teria fechado as portas faz tempo. Porque aqui para nossas bandas é assim. Falar, falar, falar e exigir resultados dos outros é o que a maioria faz, porque quando chamados a ajudar tratam logo de tirar o corpo fora.

Como disse, não tenho nenhuma procuração para defender este ou aquele. Só falo e escrevo o que penso. E tem mais, fico até na torcida para estar errado e para que nas próximas eleições do Bugre apareça uma centena de candidatos ao cargo de presidente, com os mesmos críticos de agora decidindo enfim sair do anonimato e colocar enfim mãos à massa.

Sonho impossível? Mas quem sabe não se torne realidade?!

 

Todos juntos

E para encerrar de vez essa conversa, que todos os divinopolitanos, amantes do futebol, tenham em mente a única verdade: o Guarani somente voltará a ser grande se contar com o apoio de todos, mas todos mesmo, do mais humilde de seus torcedores ao mais eminente empresário da cidade. Abraçar o Bugre neste momento de tristeza é o mínimo que se pode pedir agora.

E vamos que vamos, Guarani, buscar em campo o retorno às suas páginas de glória.

 

Copa Brasileirinho no Farião

E enquanto nada se decide com relação ao futebol profissional – a Segunda Divisão será disputada apenas no segundo semestre –, a atual diretoria do Guarani vai se virando para manter a base em atividade, montando equipes em todas as categorias com a intenção de participar de competições regionais, nacionais e de todos os torneios estaduais promovidos pela Federação Mineira de Futebol (FMF). 

E esse é, sim, o único caminho, o viável para o Bugre. Fazer hoje em casa o atleta que defenderá o profissional amanhã.

 

Torneio Sub-17

E aqueles que amam realmente o clube terão já nos próximos meses a oportunidade de demonstrar seu amor. A diretoria acertou a disputa de uma das chaves da Copa Brasileirinho Sub-17, que ocorrerá entre os dias 29 de março e 6 de abril, para o estádio Waldemar Teixeira de Faria. Vamos ver se, pelo menos num torneio com a presença de grandes clubes do Brasil, o apoio ao nosso Bugre venha de forma completa e irrestrita.

 

É agora

E é em torneios como esse, ou outros que venham a acontecer neste primeiro semestre, que o time do Porto Velho terá condições de armar uma equipe para disputar a Segunda Divisão. E quem sabe não acontece um milagre e o Bugre até encontre um atleta que lhe dê retorno técnico e, principalmente, financeiro, nesses jogos.

Como sonhar não custa nada, vamos sempre acreditar em dias melhores.

Sou Guarani e não desisto nunca! Acredito sempre no melhor... 

Comentários
×