Covid: secretário revela preocupação com festas de fim de ano: ‘duas doses não são suficientes’

Fábio Baccheretti alerta para necessidade da vacinação antes do período sazonal

 

Bruno Bueno

O secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Fábio Baccheretti, expressou preocupação com os casos de covid-19 em Minas Gerais. Em nota enviada pela assessoria do Governo de Minas, o médico ressalta a importância da vacinação antes das festas de fim de ano.

Para ele, apenas duas doses da vacina não são suficientes para garantir a imunização contra o vírus que dizimou milhares de pessoas no país.

Dose de reforço

Fábio lembra que, entre pessoas acima dos 40 anos, apenas metade buscou a segunda dose de reforço.

— As pessoas têm que entender que, com a ômicron (variante da covid-19), só duas doses não são suficientes. Temos que garantir a terceira dose para as pessoas com até 40 anos e, acima de 40 anos, a quarta dose —  reforça.

O secretário também disse que sua pasta não tem medido esforços para ampliar a vacinação de crianças no estado.

— Temos insistido também com o Ministério da Saúde, junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), nos posicionamos recentemente com a equipe de transição do novo governo sobre a necessidade de ampliar a vacinação, especialmente para crianças de seis meses a dois anos e onze meses —  afirma.

Festas de fim de ano

Além da covid, Fábio revelou sua preocupação com o crescimento de outras infecções durante as festas de fim de ano. 

— A população começa a conviver com outras doenças de forma mais intensa, como a gripe e a bronquiolite. O que aumenta a necessidade de colocar todo o cartão de vacinação em dia — pontua.

O médico ressalta, ainda, a importância de proteger crianças e idosos com comorbidades.

— Os casos de covid estão aumentando, era esperado, é uma nova subvariante, mas temos que lembrar que em fevereiro e março começam a juntar também várias doenças sazonais — completa.

Outras doenças

Baccheretti fez um apelo à população para evitar o retorno de doenças já erradicadas voltem ao país e a Minas, como o sarampo e a poliomielite.

— Quero lembrar os pais, avós, responsáveis, para levar as crianças aos postos de saúde. A caderneta de vacinação provavelmente deve ter alguma coisa em atraso. Temos vacina contra a poliomielite, meningite, a tríplice viral e a tríplice bacteriana — enfatiza.

Dados

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) mostra que o estado registrou 25 mortes e 370 casos de covid-19 nas últimas  24 horas. Minas tem 3,9 milhões de casos e 64.061 mortes desde o início da pandemia.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) não divulgou os números atualizados da doença em Divinópolis até o fechamento desta página. 

Brasil

O país contabilizou 40 novas mortes e 12.369 casos nas últimas 24 horas. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa. A média de novos casos nos últimos 7 dias é de 29.534, sendo 26% maior do que nas últimas duas semanas. Já a média de óbitos é 102, com alta de 33% em relação aos últimos 14 dias.

O país tem 35 milhões de casos e 690.946 mortes desde o início da pandemia.

Mundo

Local da primeira contaminação por covid, a China se prepara para uma nova onda da doença nos próximos dias. A alta nos casos vem após a flexibilização de uma série de medidas restritivas para se distanciar da polêmica política de Covid Zero, que esteve em vigor no país desde janeiro de 2020.

Segundo especialistas, há sinais de um surto em Pequim, capital do país asiático. Apesar disso, o relaxamento segue em todo o território chinês. Existe a preocupação em como o sistema de saúde vai lidar com um eventual surto. 

Mais de 8.620 casos foram registrados em todo o país no último domingo, valor abaixo dos 10.597 do dia anterior e inferior aos mais de 40.000 totalizados no fim de novembro. 

 

 






Comentários
×