Construção civil registra queda nas atividades

Indicador de emprego ficou abaixo dos 50 pontos pela segunda vez

A Sondagem da Indústria da Construção de Minas Gerais de abril registrou diminuição da atividade pelo sexto mês consecutivo, e o nível de atividade foi inferior ao habitual para o mês. O indicador de emprego ficou abaixo dos 50 pontos pela segunda vez seguida, sinalizando recuo do número de empregados. Os dados são da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

 

Conforme o estudo, apesar da retração na atividade do setor, as expectativas para os próximos seis meses continuaram positivas. Os construtores mostraram otimismo com relação à atividade, à compra de insumos e matérias-primas, aos novos empreendimentos e serviços e ao emprego. As intenções de investimento cresceram frente ao mês anterior, e foram as mais elevadas para maio em oito anos.

 

O índice de atividade da Construção recuou 1,1 ponto em relação ao verificado em março (48,5 pontos), registrando 47,4 pontos em abril. O indicador continuou inferior aos 50 pontos – limite entre queda e expansão – pelo sexto mês consecutivo, mostrando diminuição da atividade do setor. Frente ao apurado em abril de 2021 (43,7 pontos), o índice cresceu 3,7 pontos, e foi o mais elevado para o mês em cinco anos.

O indicador de atividade em relação à usual avançou 3,1 pontos entre março (40,4 pontos) e abril (43,5 pontos). Apesar do aumento, o índice sinalizou atividade inferior à habitual para o mês, ao ficar abaixo dos 50 pontos. Na comparação com abril de 2021 (37,6 pontos), o indicador cresceu 5,9 pontos.

 

O índice de evolução do número de empregados aumentou 1,3 ponto ante março (47,7 pontos) e marcou 49 pontos em abril. O resultado sinalizou retração do emprego pelo segundo mês consecutivo, ao permanecer inferior aos 50 pontos. Em relação a abril de 2021 (43,2 pontos), o indicador avançou 5,8 pontos, sendo o mais alto para o mês em 11 anos.

 

Divinópolis tem 1,6 mil empresas do setor da construção. Até abril, foram criadas 141 vagas de trabalho na cidade.  

Comentários
×