Conselho do Guarani aprova a criação da SAF do Alvirrubro

Conselheiros recebem carta de intenções de grupo de empresários da cidade e inicia o processo

 

José Carlos de Oliveira

O Guarani Esporte Clube será mesmo transformado numa Sociedade Anônima de Futebol (SAF). A novidade foi confirmada ontem à reportagem pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, Aléssio Salomé, que responde interinamente pela presidência da diretoria executiva do Bugre desde a renúncia do antigo presidente, Robson Luís Camargos.

Robson foi o segundo dirigente a entregar o cargo nos últimos meses – antes dele, Nivaldo Batista (Araújo) também renunciou ao posto -, deixando o Alvirrubro sem um presidente e sem um responsável por gerir os graves problemas do clube, que no ‘tapetão’ havia sido rebaixado para a Segunda Divisão do futebol mineiro.

Primeiros passos

Há algum tempo os conselheiros do Bugre já mantinham encontros mensais e até mesmo promovendo mais de uma reunião por mês, em busca de soluções para os graves problemas enfrentados pelo clube do Porto Velho, que está sem presidente e ainda convive com sérios problemas financeiros, que inclusive o impediram de disputar a Segunda Divisão do futebol mineiro neste ano. O clube, inclusive, foi obrigado a pedir uma licença de um ano na Federação Mineira de Futebol (FMF).

Na reunião desta segunda-feira, 27, os conselheiros receberam e aprovaram uma carta de intenções de um grupo de cinco empresários da cidade (que por enquanto preferem não ter seus nomes divulgados) para a formação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do Guarani.

Com o primeiro passo já dado, novas medidas se fazem agora necessárias, como a mudança do estatuto do Guarani e outras decisões oficiais a serem tomadas entre as partes envolvidas para, enfim, viabilizar a SAF para o futebol do Alvirrubro.

Comentários
×