Comissão do Trabalho debate participação nos lucros da Cemig

Entidades representativas dos trabalhadores cobram abertura para o diálogo por parte da diretoria da estatal

 

Da Redação 

A Comissão do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza audiência pública hoje, a partir das 15h, no Auditório para debater os entraves no processo de negociação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da Cemig em 2022, a ser paga aos funcionários da estatal no próximo ano.

De acordo com informações do gabinete do deputado Betão (PT), que solicitou a audiência, o processo está em constante discussão, mas sem avanço nas negociações, mesmo com a mediação do Ministério do Trabalho e Previdência. Os trabalhadores se queixam da postura da diretoria da companhia de energia, que teria uma remuneração variável acima de R$ 80 mil mensais, em relação ao pagamento de um direito conquistado pela categoria.

— O que a Assembleia tem que discutir é uma forma de a diretoria da Cemig dialogar com a categoria e cumprir a lei, com mais clareza e fornecendo o que é por direito desses trabalhadores — afirma Betão.

 

 Discriminação 

O Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores na Indústria Energética de Minas Gerais (Sindieletro-MG), por sua vez, afirma que a proposta patronal foi amplamente rejeitada em assembleia por estar em desacordo com a lei, inclusive com metas não negociadas, ocultas e de impossível acompanhamento pela força de trabalho ou seus representantes. O sindicato também aponta tratamento discriminatório entre setores, equipes e empregados.

 

Representantes 

A Cemig não enviou representantes à última reunião de mediação do Ministério do Trabalho com o Sindieletro e o Sindicato dos Técnicos Industriais do Estado (Sintec), no dia 18/3.

Foram convidados a participar da audiência o diretor-presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, e dirigentes de entidades representativas dos trabalhadores do setor.

Comentários
×