Com preço em queda, leite pode ser comprado por menos de R$ 4

Consumir menor foi um dos fatores da redução do valor ao consumidor final

 

Jorge Guimarães 

Depois de altas, que pegaram os consumidores de surpresa, com o litro de leite chegando a bater nos R$ 8,00, o preço da bebida começou a cair nas gôndolas dos supermercados da cidade. Nas últimas semanas, o consumidor já pôde encontrar o litro abaixo dos R$ 4,00, a variar conforme a rede e a marca. 

Segundo levantamento da reportagem, o preço médio do leite de caixinha está em R$ 4,20 e, em eventuais promoções, chega a R$ 3,79, como foi verificado na data de ontem, em loja de rede de supermercados. De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o valor do leite longa vida diminuiu 7,09%, em novembro. 

No ano, a variação acumulada do produto, que atingiu 77,84% em julho, chegou a novembro em 31,20%.

Na avaliação do empresário do ramo supermercadista Gilson Amaral Teodoro, o principal fator foi a redução do consumo.

— Os preços vêm se ajustando devido à queda no consumo, verificada nos últimos meses. Com a alta dos preços observada desde julho, a população reduziu o consumo de leite e seus derivados, aumentando o estoque nos laticínios. Com o preço ficando inviável, a maioria optou por levar produtos mais baratos como as bebidas lácteas. E, agora, com o início do período das chuvas, os custos de produção diminuem, refletindo ainda mais na queda dos preços — avalia. 

Derivados

A queda do custo do leite também alcançou seus derivados, como no caso da muçarela, que chegou a ser comercializada, em julho, a R$ 62,00. Na data de ontem era encontrada, no preço mais barato, em R$ 34,90. 

— Desde o mês de setembro os preços da muçarela estão se ajustando e, assim, como trabalho com lanchonete, sempre estou de olho nas promoções. E mesmo que não precise, eu compro e faço meu estoque de peças inteiras — declarou o empresário Ênio Ferreira.  

Consumo

Na opinião do economista Leandro Maia, a queda do consumo é um dos pilares relevantes que interferiu diretamente no preço final ao consumidor.

— Toda a engrenagem do comércio varejista funciona dentro da lei da oferta e da procura. Como o consumidor parou de comprar, a indústria se viu cercada de um grande estoque de produtos, que agora tem que comercializar para evitar perdas — analisa. 

Já para o gerente de loja de rede Sérgio Antônio, a tendência é de queda nos preços devido à estação das águas, em que os animais não ficam em confinamento, abaixando os custos na produção. 

— Na estação da seca, que tem seu início junto ao inverno, os animais ficam em confinamento devido à falta de pastagem, aumentando o custo de produção. Agora, com a chegada das chuvas, os preços devem voltar à sua normalidade — finaliza.

 

Foto: Jorge Guimarães

Preço do leite em queda nos últimos meses 

 

Coment√°rios
×