Com baixa procura, ambulatório na Policlínica será desativado

Apenas 24% dos testes realizados na unidade tiveram resultado positivo para covid

Da Redação

O ambulatório instalado na Policlínica para atender casos de síndromes respiratórias encerra, nesta semana, os atendimentos. O espaço foi montado pela Prefeitura de Divinópolis para atender a alta demanda de casos e a lotação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Em nota, o Executivo comunicou os motivos para encerrar o serviço.

— Considerando a baixa procura, bem como o declínio no número de atendimentos, o serviço será encerrado considerando que os usuários continuarão contando com o atendimento em todas as unidades de saúde, sendo acolhidos pelos profissionais da Equipe de Saúde da Família — destacou.

Balanço

Segundo a atual administração, desde o início das consultas, em 15 de junho, até a última sexta-feira, 22, foram atendidos 1.222 adultos e 293 crianças. O serviço também realizou 1.028 testes rápidos para detecção da covid-19: 302 testes positivos e 726 testes negativos, ou seja, 24% positivo.

Objetivo

O ambulatório atendia os casos com sintomas respiratórios considerados leves. Os demais pacientes eram encaminhados à UPA. O protocolo, adotado em várias regiões do país, funciona como um método de triagem de pacientes que determina escalas de urgência. Assim, a classificação era feita de acordo com a gravidade do quadro clínico e o tempo de espera recomendado. 

E agora?

Com a interrupção, os pacientes com sintomas leves devem procurar a unidade de saúde do seu bairro. Além disso, no período noturno também é possível buscar atendimento.

— As unidades que atendem o programa “Saúde na Hora”, Belvedere, Planalto, Sagrada Família, Tietê e Ermida também estão de portas abertas para atender as pessoas com síndromes respiratórias, incluindo influenza e covid-19. Essas unidades funcionam das 18h às 21h30 — informou anteriormente o Executivo.

Hospitalização

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) atualizou ontem os dados referentes às hospitalizações de pacientes com sintomas de covid-19 no município. Atualmente, seis pessoas estão internadas nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), entre os 46 leitos disponíveis na cidade para pacientes com covid-19, o que equivale a 13,04%. No setor de enfermaria, a taxa é de 28,77%, com 21 leitos ocupados entre os 73 totais.

Nas Unidades de Terapia Intensiva, o Complexo de Saúde São João de Deus registra um paciente internado no CTI adulto da área suplementar, além de um caso no CTI adulto. O hospital Santa Mônica conta com uma internação no CTI adulto e o Hospital Santa Lúcia tem três internações por covid-19. Já o hospital São Judas Tadeu não possui internações no setor.

Em relação aos casos de enfermaria, foram registrados no Complexo de Saúde São João de Deus quatro casos na área suplementar, além de seis casos na enfermaria da área atendida pelo SUS. Nos demais hospitais, o São Judas registra uma internação em leitos de enfermaria, o Santa Mônica conta com um caso na enfermaria infantil e um na enfermaria adulta. Foram registrados cinco casos na enfermaria do hospital Santa Lúcia e na UPA há registro de três internações por covid-19 em suas enfermarias, sendo necessária a adição de um leito para o setor.

Casos

Apesar da queda nos indicadores, a Secretaria de Saúde confirmou ontem a morte de mais dois residentes por covid. A primeira vítima era uma mulher, de 62 anos, portadora de imunodeficiência. Ela morreu no domingo. O segundo óbito, registrado ontem, foi de um homem, de 72 anos, portador de mieloma múltiplo.

Comentários
×